Santo Antão: Fórum debate no Porto Novo a problemática do pré-escolar

 

Porto Novo, 20 Abr (Inforpress) – Um fórum sobre a educação pré-escolar em Santo Antão decore partir de hoje, e durante dois dias, na cidade do Porto Novo, com a presença de mais de uma centena de educadores de infância dos três concelhos da ilha.

Uiliana Monteiro, coordenadora do evento, explicou que esse fórum visa chamar atenção das autoridades competentes para a importância do ensino pré-escolar no desenvolvimento harmonioso das crianças.

O alargamento desse subsistência a todas as localidades da ilha de Santo Antão, a reabilitação das infra-estruturas e a introdução, a partir da próximo ano lectivo, da língua portuguesa na educarão pré-escolar são outros propósitos do fórum, de dois dias, que visa ainda levar o Ministério da Educação a assumir, na sua globalidade, este subsistema.

Segundo Uiliana Monteiro, no encontro, aberto pela delegada do Ministério da Educação no Porto Novo, Felismina Reis, pretende-se ainda debater a iclusão e intervenção precoce, bem como as dificuldades de aprendizagem das crianças em idade pré-escolas.

Igualmente, faz parte dos objectivos do evento a promoção de um intercâmbio pedagógico entre o pessoal do pré-escolar dos três concelhos da ilha.

A Rede Nacional de Campanha de Educação para Todos (RNCEPT) tem estado a alertar para o facto de que o ensino pré-escolar tem sido o “calcanhar de Aquiles” da educação em Cabo Verde.

No caso de Santo Antão, a RNCEPT tem demonstrado a sua preocupação com relação à falta de formação do pessoal e ao estado de deterioração em que se encontra “grande parte” das infra-estruturas do pré-escolar na ilha de Santo Antão.

António Teixeira, ponto focal dessa rede em Santo Antão, avançou à Inforpress que os dados apontam que esta ilha enfrenta “uma situação complicada” a nível deste sub-sistema, já que “grande parte” das estruturas do pré-escolar está no meio rural, em zonas de difícil acesso.

A maioria dos jardins infantis em Santo Antão é assumida pelas câmaras municipais que admitem a necessidade se uma intervenção em termos de reabilitação dos jardins infantis na ilha.

O vereador do pelouro da Educação da Câmara Municipal do Porto Novo, Nilson Santos, concorda que, efectivamente, muitos dos cerca de duas dezenas de jardins no concelho precisam de uma intervenção a nível físico, tendo anunciado a possibilidade da edilidade, em parceria com a organização não-governamental francesa “Verde Esperance”, alargar a cobertura do concelho a nível do pré-escolar.

A edilidade porto-novense, segundo o autarca, está a proceder a obras de recuperação no jardim em Alto Mira e pretende avançar, a partir do próximo ano lectivo, com a criação de jardins infantis no Planalto Norte e Ponte Sul/Chã de Mato.

JM/CP

Inforpress/Fim