Santo Antão: Falta de chuva e ventos secos fazem pairar espectro de mais um ano difícil no Porto Novo

 

Porto Novo, 22 Set (Inforpress) – A demora na queda de novas precipitações no Porto Novo, Santo Antão, aliada a ventos secos que têm ocorrido no concelho, está a desalentar os agricultores que começa encarar o espectro de “mais um ano difícil”.

Os agricultores porto-novenses admitem que podem perder as sementeiras caso no chova “nos próximos dias” e se o “suão” (vento seco) continuar a dar cabo das culturas.

No Planalto Norte, Manuel Lima, porta-voz dos agricultores, disse à Inforpress que as culturas do milho já ressentem, e de que maneira, a falta de chuva, situação que começa desanimar os camponeses, que se prepara para o pior, ou seja, para “mais um ano difícil” nessa localidade.

Também, na zona Sul a demora na queda de novas precipitações está a desencorajar os lavradores, embora haja ainda quem que, com o argumento de que “enquanto há esperança, há vida”, esteja a efectuar os trabalhos de monda.

“A esperanço é a última coisa a morrer. Continuamos a acreditar que haverá mais chuvas ainda em Setembro, apesar do tempo continuar difícil”, avançou Domingos Barbosa, agricultor local.

Porto Novo, o concelho mais árido da ilha de Santo Antão, e onde as precipitações são muito aleatórias, foi bafejado, em finais de Agosto, por “uma boa chuva”, segundo os serviços do Ministério da Agricultura e Ambiente.

Contudo, segundo os agricultores, a demora de novas precipitações pode levar, dentro de pouco tempo, à perda das culturas do milho.

JM/cp

Inforpress/Fim