Santo Antão: AMSA continua a lutar para que ilha seja património natural da humanidade – autarca

Porto Novo, 27 Fev (Inforpress) – A Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA) continua a defender o estatuto de património natural da humanidade para a “ilha das montanhas” e promete “lutar” para que esse desiderato venha a ser alcançado, num futuro próximo.

Quem o diz é o presidente da AMSA, Orlando Delgado, para quem Santo Antão é “uma pérola e um património” de todos os cabo-verdianos que “merece ser preservado”.

“Nós continuamos a defender o estatuto de património natural da humanidade para Santo Antão. Toda a gente que vem à esta ilha acha Santo Antão uma pérola e um património que tem de ser preservado”, sublinhou Orlando Delgado, que garantiu que os municípios santantonenses vão continuar a “lutar” para que esta região tenha esse estatuto.

O presidente da AMSA concorda que Santo Antão tem “um grande potencial”, capaz de convencer os organismos internacionais, nomeadamente a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), sobre a necessidade da elevação desta ilha à condição de património natural da humanidade.

“Temos, efectivamente, um grande potencial. Há que continuar a envidar esforços para que Santo Antão, ou, pelo menos, algumas zonas, sejam certificadas como património da humidade”, notou ainda o autarca, lembrando que a AMSA, em 2009, apresentou ao Governo uma primeira proposta que não avançou, porque entendeu-se, na altura, que devia-se priorizar outras candidaturas.

Os municípios de Santo Antão, segundo Orlando Delgado, vão retomar o processo e fazer nova proposta ao Governo para que, num futuro próximo, esta região venha a obter esse estatuto, adiantou este responsável.

A elevação de Santo Antão a património natural da humanidade constitui, igualmente, uma aspiração dos empresários santantonenses, que consideram que tal estatuto seria “uma mais-valia” para potenciar a economia desta região.

Os empresários, em alguns fóruns já realizados nesta ilha, têm sugerido aos municípios para, em parceria com o Governo, desencadearem junto da UNESCO, o processo que levará à classificação de Santo Antão como património natural da humanidade.

Os empresários dizem acreditar que Santo Antão, pela sua natureza, tem todas as condições para conseguir esse estatuto, que teria “grande impacto” na promoção desta ilha como destino turístico.

JM/JMV

Inforpress/Fim