Santo Antão: A mensagem de São Pedro é de esperança depois de um ano difícil – pároco da freguesia

Ribeira Grande, 29 Jun (Inforpress) – O pároco da freguesia de São Pedro Apóstolo, na Ribeira Grande, Santo Antão, considerou hoje que, no dia da festa de São Pedro, “a mensagem é de esperança depois de um ano difícil”.

“Com todas as vicissitudes que estamos a viver neste ano, que não foi muito agradável, o povo desta paróquia tem fé e espera que chova”, disse o padre Bernardino Monteiro em declarações à Inforpress, no final da missa e procissão em honra do orago local.

A preparação da festa decorreu durante perto de um mês com visita da imagem do patrono e do pároco local a várias localidades da freguesia “com o intuito de celebrarmos ‘em grande’ a nossa festa paroquial” disse Bernardino Monteiro.

As localidades de Figueiras e Ribeira Alta, as mais isoladas da ilha de Santo Antão e, provavelmente, de Cabo Verde, foram as únicas que não receberam a visita da imagem do santo padroeiro e do pároco da freguesia durante a preparação da festa, mas o padre Bernardino Monteiro promete chegar a essas localidades já no próximo mês de Julho, de forma a levar a presença de São Pedro e da Igreja a toda a ilha.

A festa de São Pedro Apóstolo, em Chã de Igreja, é uma das romarias festejadas na ilha de Santo Antão e mobiliza considerável número de comerciantes ambulantes que aproveitam a grande concentração de pessoas para fazer negócio.

George, um nigeriano que reside em Cabo Verde há cerca de cinco anos, admitiu à Inforpress que “o negócio vai devagar e embora não possa dizer que está bom é melhor do que ficar em casa”, no que é secundado por Lurdes, natural e residente em Chã de Igreja, que também está no ramo do comércio ambulante de roupas e afins.

“O negócio está fraco porque não há dinheiro” disse Lurdes concluindo que “São Pedro era uma vez”.

A venda de comidas e bebidas também esteve fraca durante os dois últimos dias mas, segundo Jairson Fortes, dono de uma barraca-restaurante, “melhorou hoje, sobretudo por causa das pessoas que vieram de várias zonas para participarem das actividades religiosas”, mas entende que “a festa deste ano esteve fraca”.

“Talvez tenhamos falhado na publicidade” admite Jairson Fortes reiterando que, no seu ramo de negócio, “os dias 27 e 28 foram ‘canhambra’ (fraco) mas hoje está muito melhor”.

O programa da festa de São Pedro contemplou, igualmente, actividades culturais com destaque para a “noite cabo-verdiana”, espectáculo musical com Cordas do Sol e baile popular com o grupo Kapa Sol, bem como actividades desportivas com destaque para a corrida de cavalos.

HF/SIC

Inforpress/Fim