Inicio Sociedade Santiago: “Redução drástica” da lista de espera praticamente em todas as vertentes...

Santiago: “Redução drástica” da lista de espera praticamente em todas as vertentes é o “maior ganho” – director hospital

 

Assomada, 27 Dez (Inforpress) – A “redução drástica” da lista de espera em praticamente todas as vertentes, nomeadamente cirurgias geral, ginecológicas e exames complementares foram “os maiores ganhos” de 2017 do Hospital Regional Santa Rita Vieira (HRSRV), em Santiago Norte.

A afirmação é do director do HRSRV, Imadoeno Cabral, que falava em declarações à Inforpress em jeito de balanço no ano que já se aproxima do fim.

O responsável apontou ainda a melhoria no serviço básico de saúde como outro “ganho extraordinário” para aquela estrutura de saúde.

Além de reduzir a lista de espera de 22 para quatro dias, uma média “muito inferior” a nível nacional, o responsável acrescentou que o tempo de espera no banco de urgência também diminuiu mais de 80 por cento (%) e que nos serviços de radiologia não têm lista de espera, mas no entanto querem melhorá-los no próximo ano.

“Tivemos um resultado significativo e praticamente superaram as nossas expectativas, até porque o hospital no seu nono aniversário teria que implementar medidas assertivas que resolveriam o problema de saúde da população actual”, sustentou.

Nesse sentido, informou a mesma fonte que foram implementadas cinco programas de saúde voltados para as áreas assistências, relacionadas com a área da visão, saúde da mulher e da criança, doentes oncológicos, área da humanização e gestão de recursos.

No que tange a gestão de recursos, desenvolveram o programa de dose individualizada de medicamento, em que em seis meses reduziram o consumo para 30 por cento (%), que considerou de “extremamente bom”.

O programa de cirurgia ambulatório, por seu lado, segundo explicou, trata-se de um programa implementado em países desenvolvidos para facilitar o acesso as cirurgias que são consideradas básicas e que reduz tempo de internamento e lista de espera.

Em relação ao programa “De olho na visão”, que considerou de “pertinente”, Imadoeno Cabral comunicou que já foram oferecidos mais de 80 óculos aos pacientes com necessidades especiais e com poucos recursos financeiros, e uma lista de mais de 200 pedidos.

Também tem estado a trabalhar com as áreas sensíveis em que definiram áreas de “maiores riscos” nomeadamente serviços de exames complementares e diagnósticos, na qual inauguraram um novo laboratório que tem uma capacidade de resposta acima da média, ou seja, por ser o segundo laboratório com maior demanda do país teriam que introduzir novas metodologias de trabalho.

Por outro lado, destacou o facto de o hospital ter recebido pacientes de Santiago Sul nos serviços de laboratório, facto que no seu entender mostra que estão a merecer “a confiança” de utentes tanto do Norte como do Sul.

Relativamente ao programa da saúde da mulher e da criança, destacou a inauguração da nova sala de parto.

O médico disse ainda que o hospital, em 2017, também deu atenção aos cuidados primários, ou seja, além de trabalharem para prestação de cuidados hospitalares tem estado a reforçar equipas especializados nos centros de saúde, com intuito de melhorarem os cuidados primários de saúde.

Imadoeno Cabral, fez saber ainda que no ano prestes a findar ficou também marcado por parcerias, em que receberam contentores e outros donativos de parceiros internacionais, e ainda com a congénere da capital (Hospital Central da Praia) que os permitiu introdução de novas valências para que utentes da região norte tenham acesso a saúde especializada.

“O nosso desafio para o próximo ano é trabalhar para questões específicas e para as questões de qualidade. Elegemos certificar alguns serviços, em que temos expectativas que os serviços de laboratório e do banco de sangue venham ter acreditação a nível internacional e já estamos a trabalhar com algumas entidades”, augurou o responsável da estrutura de saúde.

Ainda para 2018, apontou a gestão de recursos humanos como outro “grande desafio” com ênfase na formação “in Job” de todos os profissionais de saúde, tanto as áreas médicas, enfermagem e serviços gerais e apoios operacional para que possam melhorar as suas prestações.

O próximo ano vai ser um ano de parcerias, em que em Fevereiro vão ter uma equipa virada para cuidados de ortopedia que vem da França que vai reforçar as suas capacidades técnicas, com implementação de novas valências.

Além de almejaram reduzir o tempo de espera para o laboratório de quatro dias para 24 horas, Cabral avançou que o hospital vai dar prioridade a humanização, apostar no alargamento de consulta para horários diferenciados e a tipo de pacientes e ainda vai introduzir o Sistema de Informação para os pacientes que vem para o banco de urgências médicos, com foco na inovação e darem melhores respostas.

“Estamos a adequar a nossa metodologia, e também adequar ao próprio programa do paciente. É essa a visão e acima de tudo para o próximo ano, estamos a trabalhar no sentido de colocar este hospital como referência e trabalhar nos indicadores que nos mostram que este é o caminho para construirmos o hospital do futuro”, enfatizou.

Situado em Achada Falcão e com um terço de população de saúde, conta de momento com 52 enfermeiros e mais de 30 médicos em várias áreas de especialidades.

FM/AA

Inforpress/Fim