Santiago Norte: Universidade de Cabo Verde já formou 35 formadores em GeoGebra -vice-reitora

Assomada,30 Jul (Inforpress) – A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), através do Instituto GeoGebra, já formou 35 professores de Matemática em software GeoGebra, sendo 18 formadores da Praia e 17 em São Vicente.

A informação foi avançada hoje à imprensa pela vice-reitora, Astrigilda Silveira, à margem do Seminário de comemoração do 2º Dia do GeoGebra, que decorreu nas instalações do Pólo III da Uni-CV, em Cruz Grande – Achada Falcão, Santa Catarina, tendo feito um balanço “positivo” do primeiro aniversário daquele instituto.

Conforme informou, o evento que decorreu em simultâneo, em videoconferência com a Ilha de São Vicente, no auditório do Campus da Uni-CV, em Ribeira de Julião, serviu para que estes formadores apresentassem alguns dos resultados das investigações desenvolvidas ao longo deste período, através de conferências e comunicações à volta da GeoGebra.

Na ocasião, a responsável adiantou que Uni-CV entregou um projecto ao Ministério da Educação, no qual mereceu a atenção, que os vai permitir iniciar a implementação do plano de formação “brevemente” a todos os professores de Matemática em todos os concelhos do país, sobre este software criado em 2001, por Markus Hohenwarter.

“Este software moderno é apropriado para o ensino da Matemática, mas só o recurso não é suficiente. O professor tem que envolver fortemente a nível das competências matemáticas, didácticas, curriculares e tecnológicas para que possa tirar melhor partido deste recurso”, explicou.

Questionado se este software vai “quebrar o mito” de que a Matemática é difícil, disse que sim, sustentando que em um ambiente dinâmico de Geometria dinâmica os alunos aprendem a Matemática de uma forma activa e interactiva.

Nesse sentido, Astrigilda Silveira acredita que se os professores estiverem muito bem preparados, adoptando a estratégia do ensino e aprendizagem exploratória, poderá realmente promover uma aprendizagem significativa da Matemática aos seus alunos.

O evento, segundo a mesma fonte, foi muito concorrido, por parte dos professores de Matemática.

De acordo com a responsável, tem havido muitas solicitações para formações, assegurando que os docentes já conseguiram ver as potencialidades deste recurso.

Segundo a vice-reitora, com este recurso, pode-se trabalhar o cálculo, geometria, análise e a probabilidade estatística, desde o pré-escolar ao ensino superior, desde que o professor estiver preparado, tanto matematicamente, didacticamente, curricularmente e tecnologicamente para utilizar este recurso na sala de aula.

FM/JMV

Inforpress/Fim