Santiago Norte: Deputados do PAICV dizem que há um “esquecimento completo” do Governo para com o mundo rural

Assomada, 20 Out (Inforpress) – Os deputados do PAICV pelo círculo eleitoral de Santiago Norte afirmaram hoje que há um “esquecimento completo” do Governo para com o mundo rural, sublinhando não haver “nada significativo” do mesmo na região em quase três anos de governação.

A afirmação é do porta-voz dos deputados eleitos nas listas do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição), José Sanches, que falava à imprensa após uma visita ao interior de Santiago.

Os parlamentares do principal partido da oposição visitaram as barragens de Poilão, em São Lourenço dos Órgãos e de Flamengos em São Miguel para inteirar-se da situação destas duas infra-estruturas, as perspectivas do ano agrícola em curso e questões inerentes à mobilização e distribuição de água.

José Sanches lembrou que o anterior governo do PAICV construiu as barragens com uma “visão clara”, visando trazer mais oportunidades e para combater a pobreza no interior da ilha de Santiago, mas que o Executivo liderado por Ulisses Correia e Silva entrou e esqueceu-as, e não as valoriza e não as dá utilidade, referindo-se à criação de infra-estruturas complementares para adução de água.

Por não se estar a criar infra-estruturas complementares às barragens, o deputado nacional entende que o actual Governo está a “desdenhar” a visão do anterior Governo, mas que, no entanto, o mesmo não tem apresentado alternativas complementares e as suas visões para que as populações do mundo rural possam sair da pobreza.

Sanches lembrou, por outro lado, que foi com a governação do PAICV que esta região ganhou outras infra-estruturas, como estradas e escolas para que a mesma possa entrar no mapa a nível nacional.

Nesse sentido, entende que pelo facto de a maioria actual não estar a valorizar e a dar utilidade às obras encontradas em Santiago Norte, referindo-se às barragens, notou, que as consequências já estão à vista com parcelas agrícolas a secar.

A propósito, fez saber que por ser a região de Santiago Norte a que tem abastecido o mercado nacional as consequências vão ser sentidas não só pelos agricultores e criadores de gado do interior de Santiago, mas por todo Cabo Verde.

Segundo a mesma fonte, as barragens construídas há vários anos, nomeadamente as de Faveta (São Salvador do Mundo), Saquinho (Santa Catarina), Poilão (São Lourenço dos Órgãos) e de Flamengos (São Miguel) que, de momento, têm água e que carecem de infra-estruturas complementares para fazer a adução de água para os agricultores usarem na agricultura, podem servir de alternativa em anos de seca.

No caso da barragem de Flamengos, considerou a situação “a mais gritante”, por ser uma infra-estrutura que há quase dois anos foi concluída, mas que o Governo actual não teve “sequer a visão e iniciativa” para inaugurá-la e fazer infra-estruturas complementares para que a população comece a usar na agricultura em ano de seca e com parcelas agrícolas a secar por falta de água.

Após o levantamento, José Sanches assegurou que vão levar os problemas ao Parlamento para serem discutidos com o Governo e com a tutela Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), sobre o que diz ser “esquecimento completo” do actual Governo para com o mundo rural.

FM/ZS

Inforpress/Fim