Santiago Norte: Cutelo Gomes, Chão de Monte e Achada Fora (Santa Catarina) já estão ligados à rede eléctrica

Assomada, 12 Mai (Inforpress) – As localidades de Cutelo Gomes (São Miguel) e Chão de Monte e Achada Fora (Santa Catarina) no interior de Santiago, já têm a energia eléctrica, que vai permitir às populações ligação domiciliária 24 horas por dia e iluminação pública.

O projecto, financiado pela JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão) e Banco Africano para Desenvolvimento (BAD), enquadra-se na política do Governo de expandir, interligar e melhorar a rede de transporte em todo o país.

Conforme apurou a Inforpress, o executivo pretende elevar também a taxa de penetração da energia eléctrica, bem como melhorar a eficiência e qualidade, para além de aumentar a taxa de acesso na ordem dos 98 por cento (%).

Na localidade de Cutelo Gomes que liga também Aguadinha, foi construída uma rede de média tensão de aproximadamente 2.000 metros, edificado um posto de transformação de 1000 KVA, bem como uma rede de baixa tensão de 9.700 metros, 85 postes e respectivos candeeiros para eliminação pública, orçados em cerca de 34.000 contos.

Para as comunidades de Chã de Monte e Achada Fora, onde já havia posto de transformação, foi construído cerca de 2 km de rede de baixa tensão, cerca de 20 postes de eliminação pública, estão orçados em praticamente 3.000.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva que presidiu à sessão de inauguração, considerou a energia eléctrica como um “bem básico” que se precisa para se viver, realçando que a mesma vai permitir que nestas zonas rurais se façam as actividades domésticas e comerciais em melhores condições, melhores condições de estudo para os alunos, e mais segurança para a população.

O chefe do Executivo que presidiu também em São Miguel a inauguração da estrada da Barragem de Flamengos a Cutelo Gomes, disse que tal obra não é importante só para a circulação de carros, pois, também vai facilitar no transporte de mercadorias e em melhores condições, permitir que os alunos cheguem às escolas com melhor qualidade de vida, além de facilitar também no transporte dos doentes ao hospital.

A estrada da Barragem de Flamengos a Cutelo Gomes com 1, 9 km, foi financiada no âmbito do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), orçado em 18 mil contos e contou com envolvimento do Instituto de Estradas e da própria autarquia micaelense.

Por sua vez, o edil micaelense na sua intervenção disse que levar estrada e energia eléctrica –  “dois bens importantes” -, a estas localidades, é criar condições para que a população viva como os que residem na cidade da Calheta e em outros concelhos do país.

Na sua opinião, tais obras vão fixar as pessoas nessas localidades, para que possam ali mesmo produzir, ter rendimentos e contribuírem para o desenvolvimento de Aguadinha, Cutelo Gomes e Lém de Oliveira.

Na ocasião, deixou o compromisso de trabalhar com o Governo para que nos próximos tempos outras localidades sejam desencravadas e ainda criar condições para que este município tenha mais desenvolvimento humano, económico, social.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves Fernandes, considerou que a energia eléctrica veio em “boa hora” para estas localidades (Chão de Monte e Achada Ponta), que há vários anos vinham reivindicando este “bem básico”, lembrando que uma dessas localidades até foi palco de episódios “lamentáveis” decorrente de falta de energia.

O autarca informou, no entanto, que já há obras em curso em outras localidades e perspectivas de outras, tendo reiterado o compromisso de até o final do seu mandato que culmina em 2020, ter o concelho electrificado a 100 por cento (%).

Entretanto, as autoridades pediram os moradores que façam o uso racional da energia, lembrando-lhes também de que devem pagar as suas facturas mensais à ELECTRA.

Por sua vez, os moradores manifestaram a sua satisfação pela chegada tanto da estrada como da energia eléctrica, que consideraram ser dois “bens básicos” que vão contribuir para o desenvolvimento das suas localidades, mas aproveitaram a presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva para pedirem outras intervenções necessárias.

FM/FP

Inforpress/Fim