Santiago Norte: Combatentes da Liberdade da Pátria defendem ensino da luta pela libertação nacional nas escolas

 

Assomada, 20 Jan (Infropress)- Os Combatentes da Liberdade da Pátria de Santiago Norte defenderam hoje, Dia dos Heróis Nacionais, a inclusão, nos programas escolares, o ensino da luta pela libertação de Cabo Verde nas escolas aos mais jovens.

A intenção foi manifestada hoje, em Santa Catarina, pelo porta-voz dos Combatentes da Liberdade da Pátria residentes em Santiago Norte, Arlindo dos Reis Borges, à margem da homenagem promovida pela Comissão Política Regional (CPR) do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) daquela região.

O porta-voz, que assume a posição do colectivo como aqueles que “ficaram e que são historias vivas”, mostrou-se disponível para esclarecer sobre a luta da libertação de Cabo Verde , para que as gerações actuais tenham sempre presente a historia de Cabral

“De onde viemos? Quem somos? Quem nos tem assim?”, questionou, mostrando a disponibilidade dos combatentes pela independência de Cabo Verde em contribuir nesse processo de inclusão da matéria no ensino cabo-verdiano.

Acrescentou a mesma fonte que estão disponíveis em ministrar palestras e outras iniciativas sobre a luta da libertação nacional, para que os mais jovens tenham sempre presente a historia do “grande herói” , Amílcar Cabral.

Explicando que lutaram pela segurança do país, pediu às autoridades a darem mais atenção a este sector, exemplificando casos de desaparecimentos de pessoas, roubos a residências e assaltos a bancos.

Em relação à homenagem, o também distinguido  Arlindo dos Reis Borges considerou a iniciativa de “justa”, lamentando, porém, o facto de ainda os combatentes da liberdade da pátria a nível do país não usufruírem de uma “verdadeira dignidade”.

“Estamos esperançosos e nem entramos na luta para termos nada, mas Cabral disse: que depois da luta cada qual teria a sua recompensa”, concluiu.

Por seu turno, o presidente da CPR do PAICV em Santiago Norte, António Fernandes, considerou a homenagem de “justa” aos que estiveram no processo da luta nacional idealizado pelo “herói maior” Amílcar Cabral, que deixou um legado de “luta e unidade”.

FM/JMV

Inforpress/Fim