Santiago: Município de Santa Catarina vai beneficiar do Programa Um Milhão de Cisternas para o Sahel da FAO

Santa Catarina, 18 Jan (Inforpress) – O concelho de Santa Catarina vai beneficiar do Programa Um Milhão de Cisternas para o Sahel, que visa propor soluções simples e de baixo custo para a colecta de água das chuvas para pessoas e comunidades vulneráveis.

O projecto, financiado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que nesta primeira fase, vai contemplar Cabo Verde, Senegal e Gâmbia, foi “socializado” hoje com a edilidade e potenciais beneficiários das localidades que não estão cobertas da rede pública de água e com prática de criação de animais.

Além deste município do interior de Santiago, a delegação da FAO-Senegal, que se encontra em Cabo Verde no âmbito do Programa Um Milhão de Cisternas para o Sahel (P1MC), vai encontrar-se, igualmente, com outros principais parceiros e discutir os objectivos do programa.

Em declarações à imprensa, o edil santa-catarinense, José Alves Fernandes, que considerou o projecto de “importante” para Santa Catarina, acredita que o P1MC vai resolver o problema de armazenamento de água, sobretudo para as famílias que dedicam a criação de animais e localidades que não tem cobertura da rede pública.

A água da chuva a ser armazenada nas cisternas, segundo o autarca, vai servir para os animais, afazeres domésticos e ainda para criação de pequenos hortos junto das residências.

Engenhos, Librão e João Bernardo, que não têm cobertura da rede pública de água, e Ribeira Grande de Rincão e Figueira das Naus, com prática de criação de animais, são algumas das potencias localidades a beneficiar do programa, que encontra-se na fase de socialização e que ainda não tem uma data para a sua implementação.

Por outro lado, José Alves Fernandes lembrou que a autarquia tem um projecto próprio de construção de cisternas.

Representantes das localidades potenciais a serem construídas as cisternas, congratularam-se com a iniciativa, que segundo dizem, vai resolver o problema de água existe, quer para consumo, animais e na agricultura.

A delegação da FAO-Senegal, acompanhada da equipa camarária, visitou algumas cisternas já existentes no concelho e deslocou-se as potenciais localidades para a construção de novas cisternas e promover encontros com os potenciais beneficiários.

FM/CP

Inforpress/Fim