Santa Catarina/ Festival 13 de Maio: Gil Semedo encanta e leva o público à “loucura” com “grandes sucessos”

Assomada, 12 Mai (Inforpress) –O artista santa-catarinense Gil Semedo encantou e levou à “loucura”, esta madrugada, os fãs e o público do Festival de Música 13 de Maio, em Assomada, ao cantar “grandes sucessos” dos seus 25 anos de carreira.

Inicialmente agendado para começar às 22:00, o único dia do Festival de Música 13 de Maio, que teve como palco a rua de EMPA, em homenagem ao “batuco”, registou um atraso de quase três horas, tendo principiado por volta das 00:45, com a actuação do grupo de batucadeiras Pé di Brianda, de Ribeirão Manuel.

Na altura da actuação deste grupo, o recinto encontrava-se com pouca gente, aliás, este cenário manteve-se até por volta das 04:00, altura em que os festivaleiros começaram a chegar, para presenciarem a actuação, também, de um grupo de “filhos da terra”, os rapazes 100 Juiz.

Antes da actuação do artista santa-catarinense Gil Semedo, que voltou a pisar o palco num festival de Assomada depois de três anos, as hostilidades foram protagonizadas, já passava de 01:00 de madrugada, pelo artista tarrafalense Gama, residente em Portugal, e que marca a presença pela primeira vez neste certame.

Na sua actuação, Gama trouxe músicas antigas, sendo algumas do conhecimento do público que cantava temas como “Puro tentação”, “Nka kre tchora” , “Bo é ”, “Quente-quente”, tendo o show terminado por volta das 02:10, dando lugar ao rapper praiense Ga da Lomba, que arrancou com o seu concerto depois de mais de 30 minutos à espera.

O artista, que recebeu uma menção honrosa no Cabo Verde Music Awards de Artista Solidário, emocionou o público com as suas músicas, que contam “histórias verídicas” da sua vida e não só, tendo merecido aplausos por parte dos presentes, após ter apelado a não uso de drogas.

Ga da Lomba terminou a sua apresentação às 02:23, dando assim lugar ao Dju de Rabenta, que “esquentou” o recinto, tendo em conta que a madrugada estava muita fria.

Em cerca de 30 minutos, com o fenómeno “Cotxi pó”, Dju levou muita gente a dançar, incluindo o próprio edil, José Alves Fernandes, e a vereadora da Cultura, Jassira Monteiro, que não quiseram ficar de fora.

Já passavam das 04:00 da matina, quando os filhos de Assomada Rapazes 100 Juiz, que voltam a pisar os palcos de num festival em Assomada quatro anos depois, entrou em cena, para “encantar” e levar o público ao delírio, tendo proporcionado um momento de muita “mensagem crítica”.

A exibição deste grupo foi feita com base num repertório de temas dos seus últimos álbuns e alguns singles novos que farão parte do próximo trabalho discográfico, nomeadamente “Nem Nem” e “Baxo lá” .

Artista de “destaque” foi, sem dúvidas, Gil Semedo, que, às 05:30, subiu ao palco, com casa “praticamente cheia”, ao som do tema “Cabo verde ki ganha”, um single novo, dando lugar depois para sucessos como “Nos Líder”, “Maria Júlia”, “Jantar” “Suzy”, “Se bu dam” e Moda bitchu”.

Gil Semedo, que disse estar em casa, terminou a sua prestação ao som do tema “Obrigado”, por volta das 06:30, dando lugar ao jovem artista Gary.
Gary tem participado com alguma regularidade nos eventos musicais da Assomada, mas foi a primeira vez que actuou com uma banda.

Depois, seguiram-se os Rabelados , que regressam aos palcos nacionais depois de 21 anos, tendo como palco Assomada, onde, mesmo sem “casa cheia”, “lembraram o tempo” e fizeram o público cantar e dançar, através de um repertório “recheado” de funaná, como “Peteco”, “Sukuro”, Sarrabudja, “Pilon Pilon”, além do tema “Cada momento”, este protagonizado pelo Lily Spencer, sem esquecer “Tudo muda” e um “Cherinho” de “Ki vida”.

O concerto do este grupo, que vai actuar ainda hoje no Parque 5 de Julho, onde deu o seu primeiro show, ou seja, “onde tudo começou”, terminou por volta das 09:00, o Sol já ia alto, ao som do tema “Sukuro”, cedendo o palco ao grupo Ferro e Gaita, que fez vibrar os poucos festivaleiros que se encontravam no recinto do certame naquela hora.

A festa, que se enquadra nas comemorações do 17º aniversário da elevação de Assomada à categoria de Cidade, prossegue hoje com bailes em discotecas e tendas electrónicas e culminará no domingo com uma missa solene em honra a santa padroeira, Nossa Senhora de Fátima.

FM/JMV

Inforpress/Fim