Santa Catarina: Colónia de férias conseguiu incutir o gosto pela preservação cultural a 60 crianças – coordenador

Assomada, 31 Ago (Inforpress) – A primeira edição da colónia de férias da edilidade santa-catarinense foi um “sucesso”, porque conseguiu “atingir” um dos objectivos do certame, o de incutir o gosto pela preservação e valorização de patrimónios culturais a cerca de 60 crianças.

A afirmação é do coordenador do certame, Helton Varela, que assegurou que as crianças saem com conhecimentos sobre a História de Santa Catarina com destaque para os patrimónios arquitectónicos classificados e os não classificados do centro da cidade de Assomada, História de Cabo Verde, noção do património, como preservá-lo e valorizá-lo.

O projecto da Câmara Municipal de Santa Catarina (ilha de Santiago), que arrancou desde o dia 01 de Agosto e que culminou hoje, proporcionou a 60 crianças de 8 aos 15 anos que estão de férias escolares a oportunidade de identificarem o património (natural, material, imaterial e cultural), a preservarem e valorizarem o património, envolvê-las na promoção de dinâmicas e animações culturais e a desenvolver actividades de carácter social, ambiental e educativo.

Em declarações à Inforpress, aquele responsável informou que durante um mês, os miúdos puderam participar em diversas actividades ministradas por profissionais desde conteúdos ligados às artes (teatro e poesia), actividades didácticas, aulas de inglês e francês, de lazer, actividades desportivas e culturais, aulas de ginástica, bem como visitas guiadas.

Em relação às visitas guiadas com o objectivo de apresentar à pequenada os conteúdos ministrados no terreno, conforme fez saber, apenas conseguiram concretizar uma ao Museu da Tabanca de Chã de Tanque, sendo que a Ribeirão Manuel (monumento da Revolta de Ribeirão Manuel), Engenhos (Casa Telhal), Poilão de Boa Entrada, Achada Falcão(Casa de Amílcar Cabral) não foram possível devido ao problema de transporte.

De acordo com a mesma fonte, para encerrar as actividades estava programada uma deslocação ao Parque Natural de Serra Malagueta, mas foi adiada devido ao agravamento das condições meteorológicas, segundo o comunicado emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG).

Na ocasião, Helton Varela fez saber apenas que transmitiram à criançada um “cheirinho” dos conhecimentos sobre patrimónios culturais, tendo em conta que queriam que elas tivessem mais tempo para brincar, divertir e fazer novas amizades, que são outros dos objectivos desta iniciativa.

Por outro lado, lamentou o facto de não poderem corresponder às expectativas da pequenada de fazer o alargamento do campo de férias para até o dia 13 de Setembro, visto que as aulas arrancam no dia 17, isto porque, de acordo com a mesma fonte, não vai ser possível, tendo em conta que não há logística para tal, nem para a alimentação, materiais e disponibilidade do pessoal.

Para a próximo ano, Helton Varela que falava em nome da edilidade deixou o compromisso de criarem as condições para mais uma edição da colónia de férias com alargamento até o período das aulas.

FM/ZS

Inforpress/Fim