Santa Catarina: Alunos do primeiro ao quarto ano de Chã iniciaram as aulas com duas semanas de atraso

 

 

Cova Figueira, 03 Out (Inforpress) – Os alunos do primeiro ao quarto ano de escolaridade, residentes em Chã das Caldeiras, na ilha do Fogo, iniciaram segunda-feira as aulas, após duas semanas de atraso, com abertura de uma sala na Caldeira.

O gestor do polo de Achada Furna e que tem jurisdição sobre os alunos de Chã das Caldeiras, Augusto Fernandes de Pina “Madueno”, disse à Inforpress que no primeiro dia de aulas estiveram presentes 23 alunos residentes na Caldeira, adiantando que o número vai aumentar com a entrada de novos alunos e a possível transferência dos que estavam a frequentar aulas em Achada Furna.

A sala de aula funciona numa casa arrendada “com todas as condições” e, segundo o gestor, no período de manhã funciona uma turma composta com os alunos do primeiro e segundo anos e, no período da tarde, outra turma com os do terceiro e quarto anos, orientados por dois professores.

Para os pais e encarregados de educação, a abertura de uma sala de aula na Caldeira, que “era quase impossível há sensivelmente um mês, foi possível graças ao grito de sufoco, e com o esforço do delegado e do próprio gestor”.

Nas redes sociais, os pais e encarregados de educação agradecem o Ministério da Educação que “soube levar a educação, um direito das crianças, para Caldeira”.

Em relação aos alunos do quinto e sexto ano que residem na Caldeira estes ainda estão fora do sistema, porque são obrigados a se deslocar ao agrupamento de Achada Furna.

Isabel de Pina, mãe de um dos adolescentes que terão de se deslocar a Achada Furna, disse que a sua filha não pode se deslocar por falta de meio de transporte, indicando que as informações que foram repassadas na Caldeira é de que o ministério não vai assegurar o transporte porque o número de alunos é insuficiente.

O gestor disse à Inforpress que, realmente, quatro alunos do quinto e sexto anos residentes na Caldeira ainda não iniciaram as aulas por questão de transporte, adiantando que, ao todo, são nove alunos e que cinco estão a frequentar as aulas porque estão temporariamente em Achada Furna ou porque se deslocam em viaturas particulares, assumindo as suas despesas.

Augusto Fernandes de Pina “Madueno” não confirma as informações da não garantia de transporte pelo facto do número de alunos ser insuficiente, adiantando que é uma questão que vai ser analisada.

JR/CP

Inforpress/Fim