Sal: ICCA e CNDHC “socializam” estudo sobre perfil dos condenados por crimes sexuais contra menores

 

Espargos, 19 Jun (Inforpress) – O estudo diagnostico sobre o “Perfil dos condenados por crimes sexuais contra menores: Conhecer para melhor Intervir”, será “socializado” quinta-feira no Sal, cuja apresentação resulta de uma parceria com a delegação do ICCA e autarquia local.

Segundo nota de imprensa, a realização do estudo em Cabo Verde, cuja iniciativa vem complementar outros estudos sobre a violência sexual já realizados por outras entidades nacionais, foi motivada pelo número de casos de violação sexual que se tem verificado, compreendendo a exploração e o abuso sexual de menores, que constituem uma “violação grave” dos direitos humanos das crianças.

A mesma fonte esclarece, que pretendeu-se desta forma, conhecer o perfil dos agressores sexuais de menores no país, e contribuir para o conhecimento, prevenção e intervenção das autoridades e da sociedade em geral, nesses casos.

“A perspectiva é que este processo deve incidir não só nos planos curativo das vítimas e punitivo dos agressores, mas também em medidas e acções de carácter preventivo”, refere o documento.

A apresentação do estudo, que terá lugar no auditório do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP – Sal), estará a cargo de Carla Carsino, uma das consultoras, representando a equipa constituída ainda por Dionara Anjos e Francisca Freyre, que irá referir os aspectos jurídicos, sociológicos e psicológicos dos condenados por crime sexual contra menoresem Cabo Verde.

O acto contará também com as presenças da presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC), Zaida Morais de Freitas, da delegada do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente, Queila Soares e representante da Câmara Municipal do Sal.

Conforme a apostila, a versão zero foi apresentada na Cidade da Praia em Dezembro último, e sua versão impressa já foi apresentada, no passado mês de Abril, nas ilhas de Santo Antão e São Vicente.

O estudo foi financiado pela Bornefonden, com o apoio do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde e do ICCA, com as parcerias da Direcção-Geral dos Serviços Prisionais e de Reinserção Social, Conselho Superior da Magistratura Judicial, Procuradoria Geral da República, Polícia Judiciária, Comissão Nacional de Protecção de Dados e Comité Nacional de Ética para Pesquisa em Saúde.

SC/CP

Inforpress/Fim