Retrospectiva/Saúde: Cabo Verde é marcado pelo aumento de casos de paludismo

 

Cidade da Praia, 26 Dez (Inforpress) – Cabo Verde regista em 2017 mais de 400 casos de paludismo, dos quais 386 autóctones, 18 importados e dois óbitos, ano igualmente marcado pela denúncia da situação de “descaso” em que vivem os doentes evacuados para Portugal.

O país, que em 2013, 2014 e 2015 teve zero casos de paludismo e em 2016 um caso, em 2017, num ano em que não houve chuvas, é invadido por mais de 400 casos de paludismo autóctones, que mereceram respostas de todos os sectores para dar combater à evolução das larvas dos mosquitos que provocam a doença.

Em 2017, já em Dezembro, o país é ainda confrontado com informações que circulam nas redes sociais e que dão conta que os doentes evacuados para Portugal e instalados na Pensão Madeira, em Lisboa, iam ser despejados a partir de 15 de Dezembro e que a Embaixada os abandonou à sua sorte.

Perante estas denúncias, o primeiro-ministro e os ministros da Saúde e de Finanças reuniram-se na Praia para procurar uma solução para a situação dos evacuados, visando um tratamento no tempo necessário e em melhores condições.

No dia Mundial da Luta contra Sida, 01 de Dezembro, o secretário executivo do Comité de Coordenação do Combate à Sida, Artur Correia, informa que 99 por cento da população cabo-verdiana está livre do VIH/Sida, graças às acções de sensibilização, informação, educação e comunicação.

No mesmo dia, o representante da OMS em Cabo Verde, numa declaração sobre o tema, avança que Cabo Verde pode fazer parte dos países que cumprirão os critérios de eliminação do HIV/Sida até 2030.

Outra acção levada a cabo durante o ano no sector da saúde foi a inauguração do laboratório de Entomologia, que contribuirá para o reforço da capacidade de respostas do Sistema Nacional da Saúde na luta contra os vectores dos mosquitos e a eleição de Cabo Verde para assumir uma das cinco vice-presidências na 70ª Assembleia Mundial da Saúde (OMS).

Para além destas acções, o país introduziu, no mês de Maio, a vacinação pólio injectável em todas as estruturas de saúde, validou o Plano Estratégico Nacional para Cuidado e Envelhecimento Activo 2017-2021 (PENCEA), o Plano de Acção da Saúde do Adolescente para o horizonte 2018-2020 e o Plano Estratégico Nacional de Saúde Sexual e Reprodutiva 2018/2020.

No âmbito das boas práticas no que respeita aos indicadores da mortalidade infantil, Cabo Verde recebeu a visita, em Novembro, da comissária da União Africana para Assuntos Sociais, que procedeu ao lançamento oficial da campanha “CARMMA: Reforço da Redução da Mortalidade Materno-Infantil em África”.

O ano fica, ainda, marcado pelo implante de um primeiro marca-passo em um doente no Hospital Dr. Agostinho Neto, acto que levou o director do hospital a sonhar com um centro de referência nas cirurgias cardiovasculares na sub-região africana, com a implementação, em 2018, de uma sala hemodinâmica para fazer o cateterismo e o implante Marcapasso.

No que se refere à cooperação no sector, o Hospital Dr. Agostinho Neto recebe missão do “Project Health for Cap Vert” nas especialidades de urologia, uro-ginecologista, ginecologista, oncologia ginecológico, e técnicos de biomedicina, assim como missão médica chinesa e donativos da China em equipamentos e consumíveis para cirurgia vídeo-laparoscópica.

Ainda a nível da cooperação, o Hospital Dr. Agostinho Neto e a Cavibel Sa assinaram em 2017 um protocolo de cooperação em dois projectos que contemplaram duzentas cirurgias ocular e consultas de optométricas a mil crianças carenciadas, bem como o apoio da Fundação Coca-Cola para África e da Fundação MEDSHARE, com a doação de um contentor de consumíveis hospitalares avaliados em 25 mil contos.

O país, em 2017, enfrentou, ainda no sector, situações de demanda sindical em que os enfermeiros do Centro Nacional de Diálise denunciaram situação laboral e exigiram pagamentos mais justos e denúncias do Partido Popular sobre “alegado” desvio de verbas do Hospital da Praia.

Neste ano, o bastonário da Ordem dos Médicos de Cabo Verde, Daniel Silves Ferreira, exigiu edificações de acções para maior profissionalismo, comunicação e capacitação dos médicos cabo-verdianos, assim como a implementação do Estatuto da Carreira Médica.

De visita a Cabo Verde, o representante da OOAS, Xavier Crespin, passou em revista os diferentes domínios de cooperação existentes a nível da CEDEAO com o Ministério da Saúde e mostrou a disponibilidade da organização em acompanhar e apoiar o funcionamento da Instituição Nacional de Coordenação de Vigilância das Doenças em matéria de prevenção e controlo das doenças.

A Cidade da Praia acolheu este ano as IV Jornadas de Dermatologia, promovidas pela Clínica Dermoclin, em parceria com a Bioderma de Portugal (empresa de dermocosmética) e a Ordem dos Médicos de Cabo Verde, e as II jornadas médicas dos profissionais da área da odontologia.

No domínio farmacêutico, a Emprofac reuniu pela primeira vez, no país, todas as farmácias para estabelecer novos caminhos no plano de negócio previsto para 2018-2020.

E na recta final do ano, Cabo Verde procedeu ao lançamento da estratégia de reforço da implementação da Convenção Quadro da OMS para o Controlo do Tabaco referente ao período 2017/2021.

A par isso, durante este ano, o ministro da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário, anunciou que o seu ministério estava a debater com o Governo a elaboração de um programa para a renovação dos equipamentos dos centros de saúde e hospitais regionais. Além dos equipamentos, o ministro da Saúde prometeu, também, o aumento de número de profissionais a nível dos concelhos do país.

Em Santiago Norte,  a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD), em parceria com o Hospital Regional Santa Rita Vieira (HRSRV), promoveu uma acção de sensibilização destinada aos profissionais de saúde , sobre a protecção dos dados da saúde.

O sector da Saúde encerrou o ano com a visita do director mundial da Roll Back Malaria, Kesetebirhan Admasu, tendo o ministro, Arlindo do Rosário, afirmado na ocasião que a pretensão de Cabo Verde em eliminar o paludismo até 2020 continua firme.

PC/JMV/ZS

Inforpress/Fim