Retrospectiva/Desporto: Gracelino Barbosa é tricampeão do mundo e Cabo Verde organiza I Jogos Olímpicos Africanos de Praia

 

Cidade da Praia, 27 Dez. (Inforpress) –  A conquista do tricampeonato mundial pelo atleta paralímpico Gracelino Barbosa, a vitória da candidatura cabo-verdiana à realização dos I Jogos de Praia’2019 e a final do campeão d’África em pesos pesados (boxe) afiguram-se como principais acontecimentos desportivos de 2017.

2017 foi, entretanto, um ano “atípico” nas estruturas do desporto nacional, dada a destituição do presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol, Victor Osório, da demissão do presidente da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol, André Delgado, e de Andebol, José Eduardo dos Santos.

Também renunciaram ao cargo os selecionadores nacionais de Karaté, José António Brazão e voleibol masculino, Orazio Minneccie e foi ainda exonerado o presidente da Associação Regional de Futebol de São Nicolau, José Salomão.

Já nível do olimpismo, o ano fica, igualmente, marcado pela visita do presidente da Associação dos Comités Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA), Lassana Palenfo.

A presidente Filomena Fortes foi reeleita, ainda este mês, para o quadriénio 2017/2021, estando, agora, à frente de uma equipa composta pelos presidentes das federações desportivas e comissões de atletas.

Uma vez mais o desporto paralímpico esteve na ribalta do desporto cabo-verdiano, com o atleta Gracelino Barbosa a protagonizar um raro efeito mundial ao sagrar-se tricampeão do mundo nas disciplinas dos 400 metros barreiras, nos 100 metros livres e nos 110 metros barreira durante o campeonato do Mundo realizado em Baangkok, na Tailândia, num espaço de três dias.

Gracelino Barbosa foi eleito melhor Atleta Masculino do Campeonato do Mundo, tendo sido galardoado pelo Governo de Cabo Verde com o Segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo em reconhecimento às conquistas no IX Campeonato Mundial da Federação Internacional de Desporto Para-Atletas com Deficiência Intelectual (INAS),

Internamente, a ilha do Sal acolheu neste final do ano o 7º Campeonato Nacional dos Deficientes (CANADEP), pela primeira vez realizado fora da capital cabo-verdiana, num evento que foi projectado para acolher 80 atletas.

Cabo Verde recebeu igualmente o II Campeonato Africano de Futebol para Cegos (CAN IBSA’2017), realizado no Estádio Nacional, em Achada São Filipe e no Estádio Municipal de Tira Chapéu.

A nível do futebol, o ano fica, indubitavelmente, marcado pelo fracasso da selecção de Cabo Verde da modalidade, que, depois de ter falhado o acesso ao Campeonato Africano das Nações (CAN’2017), hipotecou o seu apuramento para o Mundial 2018, a ser disputado na Rússia.

Os maus resultados da equipa nacional, marcados por sucessivas derrotas, sobretudo no Estádio Nacional, contribuíram para a destituição do presidente Victor Osório, em menos de dois anos de mandato, e o regresso de Mário Semedo, que havia liderado a FCF durante 16 anos.

A praia de Santa Maria, na ilha do Sal, acolheu a “II edição do Sal Beach Soccer Cup”, com a selecção nacional de Portugal a conquistar o título.

A nível nacional, o Sporting Clube da Praia sagrou-se campeão de Cabo Verde, após bater na final a duas mãos o Atlético de São Nicolau, num campeonato marcado pela retirada do Mindelense, tetra-campeão, na fase final, depois das peripécias de uma semi-final manchada pelo “misterioso “desaparecimento das chaves do portão do Estádio Orlando Rodrigues, no Tarrafal de São Nicolau.

O defesa leonino, Kadu Resende, foi eleito o Melhor Jogador de Cabo Verde do campeonato.

Já no basquetebol, a entrada do gigante basquetebolista internacional cabo-verdiano, “Walter” Edy Tavares, 24 anos, 2,21 metros, para a NBA ao serviço dos campeões dos EUA de Cleveland Cavaliers, foi das maiores proezas. O atleta termina o ano, entretanto, dispensado, mas ruma-se ao Real Madrid, um dos colossos da Europa.

A destituição da equipa directiva de André Delgado da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol (FCBB), por causa da não inscrição da selecção nacional sénior masculina no Afrobasket’2017, ditou, automaticamente a demissão do seleccionador Kula Monteiro.

Outro ponto negativo veria a acontecer com o Tribunal da Praia e a Polícia Nacional a “tomaram de assalto” a sede da FCBB no sentido de penhorar alguns bens da federação para saldar dívidas acumuladas e não liquidadas pela gestão do antigo presidente Kitana Cabral.

O ex-presidente da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol, Augusto Veiga, assumiu a Comissão de Emergência, Cabo Verde chegou ainda a participar nos jogos de qualificação no Mali e Senegal, sob as ordens técnicas do regressado seleccionador Mané Trovoada, com uma equipa formada sobre joelhos, mas ficou pelo caminho.

A assembleia-geral extraordinária elegeu os antigos capitães da selecção nacional, Mário Correia e Rodrigo Mascarenhas para a presidência e vice-presidência da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol.

No capítulo interno, a equipa da Associação Juvenil Seven Stars reforçou-se e muito e quebrou a hegemonia do Bairro, tendo sagrado campeão de Cabo Verde em Basquetebol sénior masculina.

Em júnior a formação de Palmarejo “Bulls”, também da Cidade da Praia sagrou-se campeão nacional da modalidade.

Por outro lado, a renuncia do presidente da Federação Cabo-verdiana de Andebol, José Eduardo dos Santos, ditou a convocação de uma assembleia-geral electiva concorrida e que colocou Nelson Martins na presidência deste organismo, ao deixar pelo caminho Lourdes Salazar.

A equipa feminina do Clube Desportivo ABC, de Santiago Sul, sagrou-se heptacampeão de Cabo Verde de andebol, ao vencer o Atlético de São Vicente por 29-28, na final da edição 2016/17, realizada na ilha do Sal.

Em sénior masculino a equipa do Desportivo da Praia revalidou o título nacional ao bater na final o Atlético de São Vicente no Mindelo.

A Federação Cabo-verdiana de Ténis, passa a ser presidida por José Almada Dias, num ano em que o Estádio Nacional, em São Filipe, recebeu um curso de treinadores de mesa, nível I, ministrado pelo “expert” da Federação Internacional Ténis de Mesa, Leandro Olvech.

No atletismo, o velocista internacional cabo-verdiano Jordin Andrade venceu em Julho a medalha de ouro nos Jogos de Francofonia nos 400 metros barreiras em Abijan (Costa Marfim) e arrecadou a primeira medalha de ouro de sempre de Cabo Verde numa prova desportiva dos jogos desta comunidade.

Cabo Verde conquistou 11 medalhas, dos quais quatro de prata e sete de bronze nos Jogos das Ilhas realizados em Martinica, todas na modalidade de atletismo, numa prova na qual o país esteve ainda representado no judo e ténis.

Cândido Costa conquistou uma medalha de prata na prova dos 5 mil metros e de bronze nos 1500 metros no campeonato de seniores da CEDEAO, decorrido na Guiné Conacri.

Alfredo Lima, da ilha do Sal, foi eleito o novo presidente da Federação Cabo-verdiana da modalidade.

Os atletas da “Emicela Team Cabo Verde” tomaram o protagonismo em atletismo com Adilson Spencer, Danilson Pereira, Joaquim Fortes e Edena Lima a somarem vitórias nas provas nacionais e internacionais.

O atleta internacional cabo-verdiano da “Emicela Team Cabo Verde”, Danilson Pereira, enfrentou o bi-campeão do Mundo de trail, o espanhol Luís Alberto Hernando, na defesa do título de Maratona de Tranvulcania, nas ilhas Canárias.

Nelson Cruz, da “Emicela Team Cabo Verde” classificou-se no segundo lugar da Meia Maratona Grã Canárias, em Las Palmas (ilhas Canárias), com o tempo de 01 hora 08 minutos e 34 segundos.

A fundista Edena Lima conquistou a medalha de bronze na prova de trilho dos 17 quilómetros da Transgrancanárias, nas Ilhas Canárias e Hélio Samuel “Fumo” ganhou a medalha de bronze nos 82 Km.

Nelson Cruz e Sandra Teixeira conquistam as medalhas de Prata e Bronze na Meia maratona de Macau.

Na modalidade de voleibol, o destaque vai para a demissão do selecionador de Cabo Verde de vólei feminino, Orazio Minnecci, que levou à condução de Américo “Butcha” Lopes ao cargo, deixado vago pelo técnico italiano.

A praia de Santa Maria, na ilha do Sal, foi palco dos I Jogos da Associação das Federações de Voleibol dos Países de Língua Portuguesa, PLP, em “Beach Volley” em sénior masculino e feminino.

Já no taekwondo, uma equipa cabo-verdiana composta por atletas residentes nos Estados Unidos da América, a olímpica Maria “Zezinha” Andrade, Ariana dos Santos e Sofia Reis, conquistaram três medalhas de ouro no Rhode Island Taekwondo Championship, nos EUA.

Neste mesmo ano, o pavilhão Desportivo Vává Duarte recebeu o XIX Campeonato Nacional de Ginástica Rítmica Desportiva, evento que contou com o concurso de 18 ginastas das associações de ginástica da Praia e de São Vicente.

Quanto ao boxe, a modalidade assinala em 2017 a conquista da medalha de bronze pelo pugilista Gerson Rocha nos Jogos Africanos em Brazzaville (Congo), realizado em Junho último e que ditou o seu apuramento para o Mundial de Alemanha, na categoria dos 56 quilogramas.

O ano terminou, entretanto, com a final do combate de boxe entre o marroquino Faisal Arrami, detentor do título africano, e o congolês Junior Maximus, campeão de Alemanha, para a disputa de campeão d’África de Pesos Pesados que ditou o título ao atleta da RD Congo.

O ano 2017 fica, ainda, assinalado pela criação das Federações Cabo-verdianas de Atletismo, de Natação, de Xadrez, de Ciclismo e pela vinda do presidente da Federação de Esgrima de Itália, Giorgio Scarso, com vista a impulsionar a prática da modalidade no país.

SR/ZS

Inforpress/Fim