Resistência a antibióticos já é uma realidade em Cabo Verde – coordenadora do projecto “ANCoVER Network”

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – A resistência a antibióticos é um problema de saúde pública a nível mundial que já é uma realidade em Cabo Verde, revelou hoje a professora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) e coordenadora do projecto “ANCoVer Network”.

Iniza Araújo fez esta revelação em declarações à imprensa na cidade da Praia, à margem da 2ª Jornada Científica em Biologia e Saúde (JOBS), sobre o tema “Epidemiology and Genomics of Microbial Infections and Antimicrobial Drug Resistance (AMR)”, e que tem como propósito divulgar o projecto “ANCoVer Network”, uma parceria entre a Uni-CV, a Universidade de Leicester (UoL) do Reino Unido e o Ministério da Saúde e Segurança Social.

Segundo a mesma fonte, dada a disseminação geral e mundial da resistência microbiana a antibióticos, o tema escolhido para a 2ª JOBS revela a preocupação de um estudo sobre “as interacções hospedeiro-patogénio presentes na infecção pela bactéria Helicobacter pylori em Cabo Verde”, que foi desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde e Segurança Social e o médico gastroenterologista Francisco Barbosa Amado.

“A resistência a antibiótico é um desafio e uma realidade a nível mundial. É um problema de saúde pública e aqui em Cabo Verde, alguns dados nos mostram que isso é uma realidade, por isso, queremos trabalhar na prevenção”, afirmou Iniza Araújo, assinalando que esse é um dos resultados preliminares do referido estudo a ser apresentado esta quarta-feira, 20, no segundo dos três dias da jornada que arrancou hoje.

Ao fazer o seu discurso na abertura do evento que decorre na reitoria da Uni-CV no Platô, a directora Nacional da Saúde, Maria da Luz Lima, disse que face à resistência microbiana a antibióticos que o país enfrenta, os serviços de saúde têm a obrigação de mudar de paradigma para a melhoria da prestação dos cuidados de saúde e na prevenção das doenças.

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os países devem estabelecer planos de acção para combater essa resistência”, frisou, sublinhando que o Ministério da Saúde e da Segurança Social está a trabalhar neste plano.

A 2ª Jornada Científica em Biologia e Saúde, especialmente dirigida aos profissionais da área da saúde (humana, agrícola, veterinária e pública), docentes investigadores nacionais e internacionais, assim como estudantes das áreas da biologia e saúde, vai explorar diversos aspectos relacionados com a resistência a antibióticos em Cabo Verde.

DR/ZS

Inforpress/Fim