Republicanos e democratas alcançam acordo para orçamento dos EUA

Washington, 22 Mar (Inforpress) – Republicanos e democratas alcançaram esta quarta-feira um acordo para o orçamento da administração norte-americana, prevendo um grande aumento para a defesa e uma verba para o muro com o México muito inferior à pretendida pelo Presidente, Donald Trump.

O acordo, que permitirá evitar a paralisação da administração norte-americana (‘shutdown’), tem o valor de 1,3 mil milhões de dólares (mais de mil milhões de euros) e prevê verbas até ao final do ano orçamental – 30 de Setembro de 2018.

Com 2.200 páginas, o texto do acordo, divulgado na quarta-feira à noite, atribui 700 milhões de dólares (556 milhões de euros) à defesa, enquanto as restantes despesas da administração se fixam em 591 milhões de dólares (478 milhões de euros).

Esta solução foi negociada ao longo de semanas pela maioria republicana e a oposição democrata, que foram obrigadas a ceder nas suas exigências.

O Congresso deve aprovar este acordo antes da meia-noite de sexta-feira, para que o Governo não fique sem fundos e incorra no seu terceiro encerramento parcial desde o início do ano.

O orçamento prevê uma parcela de pouco menos de 1,6 milhões de dólares (quase 1,3 milhões de euros) para a construção do muro na fronteira com o México, muito longe dos 25 milhões de dólares (20 milhões de euros) pretendidos por Trump a longo prazo.

Apesar das pretensões dos democratas, o acordo não tem referências aos ‘dreamers’ (“sonhadores”), jovens indocumentados que chegaram aos EUA enquanto crianças e que agora correm o risco de serem deportados devido às políticas migratórias do Presidente.

Os democratas condicionavam o seu apoio ao orçamento à regularização destes jovens, mas acabaram por ceder na negociação.

O acordo estabelece um aumento de 78 milhões de dólares (63 milhões de euros) para o Pentágono e de 52 milhões de dólares (42 milhões de euros) para programas sociais domésticos.

A Casa Branca tinha anunciado, na quarta-feira à tarde, o seu apoio ao orçamento, apesar de alguns meios de comunicação norte-americanos noticiarem que Trump não ficou satisfeito com a verba destinada à construção do muro.

O líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer, disse estar satisfeito com o acordo, apesar das concessões.

“Cada projecto de lei exige um compromisso e neste projecto de lei houve muitos, mas no final, nós, os democratas, sentimo-nos muito bem porque muitas das nossas prioridades para a classe média foram incluídas”, disse, em comunicado.

Por sua parte, o presidente da Câmara de Representantes, o republicano Paulo Ryan, também mostrou satisfação pelo acordo alcançado: “Este projecto cumpre a nossa promessa de reconstruir as forças armadas dos Estados Unidos”.
Espera-se que as duas câmaras legislativas aprovem este acordo na sexta-feira, apesar de o voto na câmara baixa poder ser antecipado para esta quinta-feira.

Falta ainda perceber se o senador republicano Rand Paul, que se opõe ao aumento de gastos, repetirá a posição que no mês passado provocou um encerramento parcial da administração por falta de fundos durante algumas horas.

Lusa/fim