Rede Nacional da Campanha de Educação para Todos quer uma maior parceria com AJOC e Jean Piaget

Cidade da Praia, 22 Set (Inforpress) – O coordenador da Rede Nacional da Campanha de Educação Para Todos (RNCEPT-CV), Abraão Borges, disse hoje que pretende uma maior parceria com a AJOC e a Universidade Jean Piaget , em prol de uma melhor cobertura da educação para todos.

Abraão Borges fez essa consideração, na cerimónia de abertura de um workshop de sensibilização dos jornalistas para o apoio na advocacia por uma educação para todos em Cabo Verde, realizado este sábado, na sede da AJOC, onde participaram jornalistas de vários concelhos do país.

O workshop, segundo o coordenador da RNCEPT-CV, tem como propósito contribuir para a melhoria da cobertura da área, por meio da capacitação de profissionais da imprensa, visando produção matérias, com mais frequência, sobre o tema no que tange aos diferentes aspectos da política educacional.

“Nós queremos que se fale da educação para todos da sua forma mais abrangente e não apenas na vertente das pessoas com deficiência. Quanto mais preparado o jornalista estiver para cobrir o sector, mais informações conseguiremos trazer para que a população saiba o que está a passar”, disse, sublinhando ainda que a intenção da Rede é envolver, também, a universidade Jean Piaget.

Para o coordenador da Rede Nacional da Campanha de Educação para Todos, falta na cobertura de educação o quotidiano escolar e a relações dentro da escola, qualidade de ensino e não só.

No que se refere à politica educacional, realçou o facto do Governo ter dedicado 20 por cento do seu orçamento para o sector da educação para poder ser financiado pela Parceria Global para Educação (PGE) para uma cobertura mais ampla da Educação para Todos.

Apesar disso, sublinhou, a fatia dedicada ao sector da educação é, na sua totalidade, dedicada para pagamento dos salários dos docentes, enquanto que a qualidade/formação é destinada uma parcela muito aquém do desejado.

“Por tudo isso, contamos com o apoio da AJOC para que a educação seja de facto de qualidade para todos, particularmente, para as crianças que estão em sítios onde as mães não conseguem leva-las ao pré-escolar”, asseverou.

Abraão Borges realçou ainda, na sua declaração, que nas ilhas de Boa Vista e Sal as mães imigrantes estão nas lixeiras a trabalhar com os filhos pequenos que deveriam estar no sistema do pré-escolar.

Os ganhos com a educação para todos, concluiu, beneficiarão professores e comunidade escolar, alunos, pais e encarregados da educação, e o país, particularmente, por contribuir para a formação de todos.

PC/JMV

Inforpress/Fim