Qualificação CAN’2019: Adiamento do jogo para domingo pode mexer psicologicamente com os jogadores – Lúcio Antunes

 

Cidade da Praia, 10 Jun (Inforpress) – Lúcio Antunes admitiu hoje que o adiamento do jogo com Uganda, em 24 horas, poderá mexer psicologicamente com os jogadores, embora a equipa continua focada para iniciar o grupo de qualificação para o CAN’2019, com uma vitória.

O timoneiro da selecção de futebol de Cabo Verde reagiu desta maneira ao adiamento do jogo Cabo Verde X Uganda, que deveria realizar-se hoje na Cidade da Praia, entretanto adiado pela Confederação Africana de Futebol (CAF), alegando dificuldades de ordem técnica com a deslocação da comitiva do Uganda no percurso Senegal/Praia.

Segundo Lúcio Antunes, por causa disso teve de realizar um treino esta tarde – quando na véspera tinha realizado um ensaio ligeiro -, para projectar o jogo inicialmente marcado para a tarde deste sábadio.

Entretanto, promete continuar a manter os jogadores e toda a equipa técnica moralizada, tendo em conta que se trata de situações que ultrapassam o controlo da selecção.

Antunes, adiantou ainda que os seleccionados “já estavam bem preparados para o jogo” da tarde deste sábado” e reconhece que “os jogadores estão um bocadinho triste e aborrecidos” com esta contrariedade, uma vez que têm outros compromissos, quer junto dos clubes, quer com os familiares.

“Contudo, os jogadores já se sentem muito melhor, psicologicamente, do que no momento em receberam a notícia do adiamento do jogo. Estão focados no trabalho e prometemos dar uma boa alegria ao povo cabo-verdiano para compensar todas estas contrariedades, sobretudo junto dos adeptos, com este contratempo”, explica.

Em relacção à Federação Cabo-verdiana de Futebol, que já manifestou a sua intenção de protestar esta decisão da CAF, o seleccionador nacional disse acreditar que a estrutura federativa está preparada para fazer o seu trabalho e que a selecção continua a apoiar a posição desta instituição, continuado a trabalhar com a mesma determinação, para o bem de Cabo Verde.

“Se a instituição competente entender por bem adiar o jogo sobre a hora do seu início, em 24 horas, é um transtorno grande para todos nós, mas continuamos concentrados no nosso trabalho, para vencer o jogo”, desabafou Lúcio Antunes, exortando a todos para se manterem de “cabeça fria e concentrados para que as coisas sejam bem-feitas”, enfatizou.

Admitiu ainda que este adiamento poderá afastar algum público do Estádio. Mesmo assim vai avançando que a selecção continua a contar com o apoio da sua torcida para começar o grupo com o pé direito, independentemente de todas estas peripécias.

SR/FP

Inforpress/Fim