Proibição da TACV em voar para Itália fere o orgulho dos cabo-verdianos – PAICV

Cidade da Praia, 20 Jul (Inforpress) – O PAICV (oposição) disse que a proibição da TACV em voar para a Itália pela Agência Nacional de Aviação Civil Italiana (ENAC) fere o orgulho dos cabo-verdianos e belisca a sua sensação de ser um país do mundo.

Segundo Rui Semedo, que falava em nome do grupo parlamentar do partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), esta medida, em si, é grave, independentemente da sua extensão aos outros países.

“Cabo Verde pela sua credibilidade, pelo seu nível de confiança, não deve dar-se ao luxo de ser penalizado a esse nível”, criticou vice-presidente do PAICV e vice-líder da bancada parlamentar, para quem este facto também pode por em causa o sonho de se ter um “hub” aéreo para Cabo Verde.

Questionado pelos jornalistas sobre o facto de um avião da companhia de bandeira nacional ter sido arrestado no mandato do PAICV, Rui Semedo afirmou que o caso actual tem um nível de gravidade maior porque a TACV nunca foi impedida de voar para a Holanda.

“Com a Holanda tivemos uma questão concreta com a companhia de aluguer de transporte, mas o país nunca chegou a nos impedir de voar para esse destino. É a primeira vez que isso acontece. É gravíssimo”, analisou.

Conforme Rui Semedo, para além desta “situação grave”, verifica-se um “desmantelamento da TACV”, que está sem aviões, a acumular prejuízos, a abandonar os seus passageiros em diversos destinos e pontos do mundo e romper com a estratégia de desenvolvimento das ilhas e do sector dos transportes.

Sobre este assunto, o deputado do Movimento para a Democracia (MpD, poder) Emanuel Lopes assegurou que o ministro das Finanças, Olavo Correia, se reuniu hoje com o grupo parlamentar deste partido e garantiu que a situação do impedimento imposta pela Agência Nacional de Aviação Civil Italiana já foi resolvida.

“Nós temos uma oposição muito ligeira, sobretudo, em trazer más notícias para o país. Temos informação detalhada do ministro de que a situação já foi resolvida e que Cabo Verde pode continuar a voar para a Itália”, garantiu o deputado, em conferência de imprensa.

Emanuel Lopes considerou que o que feriu o orgulho de Cabo Verde foi quando o avião da TACV foi arrestado na Holanda.

A mesma fonte também lembrou que neste caso da Itália a situação foi resolvida em apenas 12 horas, o que mostra a “credibilidade que o Governo tem em resolver o problema dos cabo-verdianos”.

O deputado do MpD garantiu que o Governo está a fazer tudo para que a situação não se volte a repetir e ainda que o segundo avião adquirido pela TACV vai iniciar os voos “brevemente” sem no entendo precisar a data.

CD/CP

Inforpress/Fim