Primeiro-ministro reitera em São Domingos que objectivos do programa de emergência estão a ser atingidos

Cidade da Praia, 14 Mar (Inforpress) – O primeiro-ministro José Ulisses Correia e Silva afirmou hoje, em São Domingos (ilha de Santiago), que os objectivos do programa de emergência para mitigação da seca e do mau ano agrícola, em curso no país, estão a ser atingidos.

“Constatamos que os objectivos do programa estão a ser atingidos nas suas diversas componentes, quer no domínio do emprego público, da execução de obras úteis para os municípios e na criação de rendimento para as famílias”, disse o primeiro-ministro em declarações à Inforpress, no âmbito da visita que uma comitiva governamental vem efectuando a vários concelhos do país para avaliação do programa.

Relativamente à mobilização da água, o primeiro-ministro avançou que o processo está em curso no sentido de se levar esse líquido preciso aos diversos municípios rurais.

Segundo Ulisses Correia e Silva, o objectivo do governo é criar as “condições estruturantes” no sector que irão continuar para além deste período do programa de emergência e de melhoria de abastecimento da água para rega e gado.

Destacou, por outro lado, que em termos de microcrédito e salvamento de gado, através de disponibilização de pasto, “o programa está a funcionar bem” e que o governo vai continuar a acompanhar a sua implementação.

“É evidente que temos um programa que ainda é longo e que vai até o período de avaliação deste ano agrícola. Quer dizer que havendo chuva teremos condições de mitigar o programa num prazo mais curto. Não havendo chuva termos que alongar o programa”, garantiu Ulisses Correia e Silva.

Na ocasião, o primeiro-ministro indicou também que as condições estão a ser criadas para que “não haja dificuldades de maior pelo facto de Cabo Verde estar a atravessar um ano com extremas dificuldades” devido à seca e o mau ano agrícola registados.

Falando concretamente de São Domingos, Ulisses Correia e Silva disse ter constatado que a intervenção dos criadores de gado nesse concelho tem sido também “muito positivo” a nível do programa.

“Isto tem sido um djunta-mon (solidariedade/parceria). O governo com o programa e os criadores a darem o seu contributo para garantir com que possa haver condições de alimentação do seu gado e coloca-lo no mercado quando for necessário”.

Um dos objectivos do governo no âmbito do programa neste momento, é disponibilizar recursos para financiar o emprego e criar obras úteis, nomeadamente, desencravamento de localidades com potencial agrícola, explicou o primeiro-ministro.

JL/FP

Inforpress/Fim