Primeiro-ministro da Hungria visita Cabo Verde em finais de Novembro – anuncia o ministro dos Negócios Estrangeiros (c/áudio)

Cidade da Praia, 12 Out (Inforpress) –  O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, anunciou hoje que o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, visita Cabo Verde em finais de Novembro, a convite do seu homólogo Ulisses Correia e Silva.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana fez este anúncio numa conferência de imprensa para dar conta das várias visitas que recentemente efectuou a diversos países europeus no quadro da cooperação bilateral entre estes estados e Cabo Verde.

Na Sérvia, assinou um acordo de entendimento, pais esse que, segundo Luís Filipe Tavares, tem sido um “parceiro interessante de Cabo Verde”.

Provavelmente, prossegue, o chefe da diplomacia sérvia, deve visitar o país antes do final deste ano e, durante a sua estada no país, pode ser assinado um conjunto de acordos.

“Com a Sérvia vamos desenvolver uma cooperação na área da defesa, agricultura, tecnologias de informação e comunicação e ensino superior”, indicou o ministro, acrescentando que Belgrado vai disponibilizar bolsas de estudo a Cabo Verde, nomeadamente na área da Medicina, as quais foram negociadas na sua recente visita.

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, a ofensiva diplomática de Cabo Verde junto dos países do Leste Europeu está a dar os seus frutos.

“Para o ano que vem já conseguimos cerca de 30 novas bolsas de estudos para a área da Medicina”, precisou Luís Filipe Tavares, para quem este sector merece muita atenção da parte do executivo, tendo em conta a falta de médicos no país.

Com vista a “facilitar as relações” com a Roménia, Cabo Verde abrir um consulado geral neste país europeu.

A partir do próximo ano, de acordo com o ministro, os cabo-verdianos vão poder estudar nesse país do Leste Europeu, através de atribuição de bolsas de estudo.

Nos Estados Unidos da América, quando da visita do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, disse que tiveram a oportunidade de se reunirem não com a comunidade cabo-verdiana radicada na Califórnia, mas também com uma congressista “muito importante”, com quem foi abordada questões atinentes à cooperação entre o arquipélago e os EUA.

“Acreditamos que as condições estão criadas para que no Congresso dos Estados Unidos da América seja prestado um grande apoio às iniciativas de Cabo Verde no quadro das suas relações com os EUA”, realçou Filipe Tavares.

Na terra do Tio Sam, presidiu ao acto de inauguração de um monumento dedicado aos soldados norte-americanos mortos em diferentes guerras dos EUA, que, na opinião do chefe da diplomacia cabo-verdiana, foi um “momento muito importante”, uma vez que estiveram presentes vários congressistas e autoridades norte-americanas.

Neste acto, acrescentou, esteve presente um alto patente militar norte-americano, o major-general Gary Brito, cujos pais são da ilha de São Nicolau, e comanda uma tropa de elite.

“Isto encheu-nos de orgulho porque vimos o quão importante tem sido a participação dos cabo-verdianos no exército norte-americano” concluiu Luís Filipe Tavares, lembrando que em 1775 morreu o primeiro cabo-verdiano na guerra dos Estados Unidos da América.

LC/ZS

Inforpress/Fim