Primeira fase do projecto TDT já está concluída e transição acontece no primeiro semestre de 2018 – ANAC

 

Assomada, 11 Dez (Inforpress) – A primeira fase do projecto do Sistema Televisão Digital Terrestre (TDT) que abrange as ilhas de Santiago, São Vicente, Sal e Maio já está concluída e a transição das transmissões analógicas para digital acontece no primeiro semestre de 2018.

A informação foi avançada hoje, pelo presidente da Agência Nacional de Comunicações (ANAC), David Gomes, na cerimónia de inauguração simbólica, prosseguida da entrega de equipamentos TDT, na localidade de Mato Mendes, no Tarrafal de Santiago, acto presidido pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.

“A transição do analógico para o digital é urgente, porque neste momento estamos a ter duas emissões (analógica e digital) que consomem muita energia, e é um custo elevadíssimo para o cofre do erário público”, explicou.

Segundo David Gomes, que fazia o ponto de situação do projecto TDT – cuja instalação já chegou à localidade de Mato Mendes (Tarrafal), onde há muito não se recebia sinais de televisão -, afirmou que a ilha de Santiago já está 90 por cento (%) coberto, à excepção de São Domingos, garantindo, no entanto, que a maior ilha do país, vai estar 100% coberta em Janeiro de 2018.

São Vicente, onde as zonas que não tinham sinais de televisão, nomeadamente Calhau e São Pedro, na ilha do Maio (zona Norte) e a ilha do Sal já estão cobertas também a 100%, não havendo neste momento “zonas-sombra”.

Conforme indicou o presidente da ANAC, a segunda etapa do projecto TDT que abrange as ilhas de Santo Antão, São Nicolau, Boa Vista, Brava e Fogo, será implementada “brevemente”, embora estejam já a receber sinais.

Explicou, por outro lado, que a rede do TDT construída de raiz, vai servir para o projecto da regionalização, ou seja, vai permitir que se tenha canais regionais, ajuntando que a mesma está preparada para a diáspora, e para quem não quer aceder através de antenas, mas com “smartphones” e “tablet”.

Por sua vez, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, explicou que escolheram a zona de Mato Mendes (no Tarrafal) para pontapé de saída do TDT, por ser uma localidade remota e que não possuía canais de televisão, e com isso mostrar simbolicamente que se é possível chegar aí, as outras regiões do país podem acomodar também o TDT.

De acordo com Abraão Vicente, o passo seguinte é a oficialização da empresa pública que será denominada TDT- Cabo Verde Broadcast, aprovada já no Conselho de Ministros, faltando a aprovação por parte dos ministérios das Finanças e Economia, e entrada em funcionamento do conselho de administração que já está escolhido.

O projecto TDT, que abrange televisão (seis canais) e rádio (sete canais), já tem os receptores box à venda no mercado a menos de dois mil escudos.

O acto, que foi congratulado pelos moradores locais, contou ainda com a presença do presidente da câmara municipal, José Nunes Soares, do deputado nacional José Soares, e representantes dos canais de televisão nacionais.

FM/FP

Inforpress/Fim