Primeira-dama defende mais apoios para a Associação Cabo-verdiana de Promoção e Inclusão das Mulheres com Deficiência

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – A primeira-dama, Lígia Fonseca, defendeu hoje na cidade da Praia a necessidade de se apoiar mais a Associação Cabo-verdiana de Promoção e Inclusão das Mulheres com Deficiência (APIMUD).

Lígia Fonseca fez estas declarações aos jornalistas depois de entregar à presidente da APIMUD um cheque no valor de 600 mil escudos, arrecadados num jantar de beneficência, realizado nos Jardins do Palácio da Presidência, no passado dia 25 de Maio.

De acordo com a primeira-dama, “este pequeno apoio” vai ajudar no funcionamento da APIMUD, mais concretamente no pagamento de algumas despesas como água, electricidade e transporte. “Mas é uma gota no meio do oceano”, disse.

Lígia Fonseca avançou ainda que continuará a acompanhar a APIMUD, porque os projectos que esta associação está a desenvolver merecem ser apoiados.

“Estão a contribuir para que várias beneficiárias e as suas famílias possam ter rendimento, formação e apoio”, prosseguiu a primeira-dama completando que aquela associação está a fazer um trabalho “fundamental para as mulheres com deficiência”.

Entretanto, Lígia Fonseca reconhece que é importante que a APIMUD tenha um “espaço maior” para a realização das suas actividades.

“Têm aqui máquinas de costuras boas, mas que não podem ser instaladas porque este espaço não permite e, por isso, é importante que consigam um espaço onde possam montar um ateliê de costura e desenvolver outras actividades”, frisou.

Por seu turno, a presidente da APIMUD, Naldi Veiga, disse que foi com “muita alegria e satisfação” que recebeu o cheque das mãos da primeira-dama.

“Na verdade, este apoio vem nos ajudar a reforçar a nossa capacidade funcional (…) irá contribuir no custo da renda, da electricidade e da água”, afirmou aquela responsável, informando que estão no processo de implementação de uma cooperativa que, no início, “só traz despesas, sem nenhum lucro”.

GSF/ZS

Infopress/Fim