Porto Novo/São João: IPC vai avançar com plano estratégico de salvaguarda das festividades – presidente

Porto Novo, 21 Jun (Inforpress) – O Instituto do Património Cultural (IPC) vai avançar, “nos próximos tempos”, com o plano estratégico de salvaguarda das festas de São João em Cabo Verde, classificadas em 2017 como património cultural imaterial nacional.

A informação foi avançada, quarta-feira, no Porto Novo, pelo presidente do IPC, Amilton Jair Fernandes, durante a conferência sobre os desafios da salvaguarda das festas de São João, promovida pela edilidade portonovense, no quadro destas festividades, que se celebram a 24 de Junho.

Vai ser, segundo Amilton Fernandes, “um plano estratégico integrador” que permitirá trabalhar os aspectos técnicos inerentes a estas festas e possibilitar às comunidades tirarem o maior proveito económico destas manifestações, sobretudo nos territórios onde já têm “um papel extremamente importante” na vida das pessoas.

“É o caso das festas de São João no Porto Novo que têm tido uma grande dinâmica e já constitui uma marca incontornável a nível deste município”, explicou o presidente do IPC.

O IPC, segundo este responsável, pretende, no quadro desse plano estratégico, trabalhar com as câmaras municipais na preservação e salvaguarda destas festas, mas também com outros departamentos do Governo, nomeadamente com a direcção-geral do Turismo, para fazer destas manifestações um produto turístico.

Para o edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, trata-se de “um grande desígnio” da sua autarquia e do Governo “preservar e elevar cada vez mais” as festas de São João que, a seu ver, pode ser transformado num “produto cultural vendável”.

A conferência sobre os desafios da salvaguarda das festas de São João, que contou com a presença de técnicos do IPC, marcou o arranque do programa cultural destas festas, que prossegue hoje com a apresentação do livro “Ti Lobo na festa de Son Jon” do antropólogo Humberto Lima.

JM/ZS

Inforpress/Fim