Porto Novo: Queijo do Planalto Norte entre  melhores do mundo na feira internacional do gosto de Turim (Itália)

 

Porto Novo, 24 Set (Inforpress) – O queijo tradicional do Planalto Norte, no Porto Novo, Santo Antão, voltou a ficar entre “os melhores do mundo” na feira internacional do gosto de Turim (Itália), que decorreu entre os dias 15 e 20 de Setembro.

A informação foi avançada pelo representante dos produtores do queijo tradicional do Planalto Norte, interior do Porto Novo, Irineu da Luz, de regresso da Itália, onde o produto, com chancela de património mundial do gosto desde 2007, esteve presente em mais uma edição desse certame.

Irineu da Luz, contactado pela Inforpress, mostrou-se “muito satisfeito” com os resultados conseguidos com a quarta participação do queijo de leite de cabra do Planalto Norte nesse certame, presença essa que “consolidou o reconhecimento internacional do nosso queijo, que ficou entre os melhores do mundo”, adiantou.

“O nosso queijo, no ano passado, ficou entre os cinco melhores da África e na edição deste ano ficou em quarto lugar a nível mundial, num concurso em que participaram sete países”, explicou Irineu da Luz, que representou os produtores do queijo do Planalto Norte na edição deste ano, a décima, da feira internacional do gosto de Turim.

Como prémio, e em reconhecimento à qualidade deste queijo, os produtores do Planalto Norte, que já receberam uma unidade de produção de ração, vão continuar a ser apoiados pela cooperação italiana na melhoria da produção.

Neste âmbito, está agendada, para Novembro, uma visita a Cabo Verde de uma delegação da Fundação Slow Food e do Governo de Piemonte, co-organizadores dessa feira, para discutir com os produtores, Ministério da Agricultura e Ambiente e com a câmara do Porto Novo novos projectos de apoio à pecuária, neste concelho.

Depois do reconhecimento internacional do queijo do Planalto Norte, o próximo desafio é certificação, informou este responsável, adiantando que os produtores vão agora trabalhar com o MAA e Autoridade Reguladora dos Produtos Farmacêuticos e Alimentares (ARFA) para a obtenção do certificado de qualidade deste produto.

“A qualidade do nosso queijo, com as presenças constantes da feira internacional de Turim, é já reconhecida mundialmente. Agora, queremos trabalhar para a certificação do produto, para que ele possa ser exportado”, segundo Irineu da Luz, enaltecendo o interesse que o queijo tradicional do Planalto Norte, pela sua qualidade e seu formato” tem suscitado nesse evento.

“Vamos continuar a trabalhar para manter o nosso queijo entre os melhores do mundo, mas temos também o desafio de certificação”, notou este produtor.

Os criadores de gado do Planalto Norte estão organizados numa cooperativa que, nos últimos anos, tem estado a receber apoios do governo de Piemonte, visando a melhoria das condições de produção do queijo, que se faz de uma forma artesanal.

Além da formação em técnicas de produção de queijo, esses criadores têm sido ainda contemplados com kits de utensílios de produção e equipamentos de frio, além de rações para o gado.

O queijo tradicional do Planalto Norte tem, desde 2007, a chancela do património  mundial do gosto, atribuída pela Fundação Slow Food.

Saliente-se que no quadro da cooperação Italiana, foi instalada em 2002 uma fábrica de queijo em Bolona, no Planalto Norte, que acabou por ser desactivada em 2011, por “falta de viabilidade”.

Os responsáveis dessa fábrica admitem proceder à sua reabertura, apostando agora em produtos como requeijão e yougurt.

Ainda no Planalto Norte do Porto Novo já se produz, também, o queijo curado, produto que já está a chegar ao mercado nacional.

JM/CP

Inforpress/Fim