Porto Novo/ POSER: Primeiros contratos assinados prevêem investimento de 60 mil contos na luta contra pobreza neste município

Porto Novo, 26 Abr (Inforpress) – Associações locais, Conselho Regional de Parceiros e o Ministério da Agricultura assinam, hoje, os primeiros contratos no quadro do Poser, que prevê, para 2018, investimentos de 60 mil contos no combate à pobreza no município do Porto Novo.

Nesta primeira fase, o Poser (programa de promoção das oportunidades rurais), co-financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), são assinados contratos para a montagem de equipamentos fotovoltaicos nos furos de Martiene, Chã de Norte, Ribeira dos Bodes e Ponte Sul, para a produção de água para agricultura.

Através deste programa, que está ser implementado em Santo Antão desde 2014, estão também a ser equipados, com painéis solares para a produção de água para rega, os furos da Ribeira Fria, Poio da Ribeira dos Bodes e Jorge Luís, projectos financiados no ano transacto, mas que transitam para 2018.

Porto Novo, com uma taxa de pobreza de 51%, recebe, ao longo deste ano, no âmbito do Poser, um montante de 60 mil contos para projectos de luta contra a pobreza, que incidem, essencialmente, no sector da agricultura, sendo de destacar o reforço da cultura do inhame no Tarrafal de Monte Trigo e o alargamento da área agrícola em Alto Mia, Ribeira dos Bodes e em Ribeira das Patas.

Ainda para este ano, de acordo com o delegado do MAA, Joel Barros, este município será contemplado com outros projectos financiados através do Poser, entre os quais se destacam a construção de um reservatório e instalação de um sistema de rega gota a gota, na zona de Lajedinho, nos arredores da cidade do Porto Novo.

A nível nacional, os projectos previstos, em 2018, pelo Poser, que termina nos princípios de 2019,rondam os 485 mil conto, segundo o MAA.

A ilha Santo Antão, onde 54% da população é ainda pobre, recebeu, entre 2014 e 2017, no quadro deste programa, que tem ainda o suporte financeiro da cooperação espanhola, investimentos na luta contra a pobreza à volta dos 130 mil contos, abarcando, sobretudo, as áreas da agricultura, pecuária e pesca.

Uma missão de avaliação do FIDA, que esteve em Santo Antão em finais de 2017, constatou que o Poser está a ser “uma realidade” nesta ilha, mas mostrou-se “preocupada” com o “atraso significativo”, na execução do programa a nível nacional, cuja taxa de execução está à volta de 50%, a um ano apenas do seu término.

JM/JMV

Inforpress/fim