Porto Novo: PAICV “extremamente preocupado” com a situação económica e social do município

Porto Novo, 26 Mar (Inforpress) – A primeira secretária do PAICV no Porto Novo, Santo Antão, manifestou, hoje, “extremamente preocupada” com a situação económica e social que se vive, actualmente, neste município, marcada, a seu ver, por “mais desemprego e mais pobreza”.

Elisa Pinheiro, que falava em conferência de imprensa, disse ter, constatado, em “diversas visitas” às comunidades durante os meses de Fevereiro e Março, que Porto Novo passa por uma situação económica e social “difícil”, devido ao “aumento do desemprego” que afecta, sobretudo, mulheres e jovens.

“O que o PAICV tem constatado neste concelho é a existência de mais desemprego, mais pobreza e emigração dos jovens, sem esperanças e desanimados, para outras ilhas”, sublinhou Elisa Pinheiro.

Adiantou que “alguns postos de trabalho” criados no âmbito do programa de emergência para a mitigação dos efeitos da seca, são “muito inferiores ” à quantidade prometida e “insuficientes” para se fazer face à “demanda e às expectativas criadas”, inicialmente.

“Perante essa situação, deve-se concluir que o desemprego público neste momento é muito pior em relação à situação reinante antes da seca, não obstante o elevado valor monetário colocado à disposição de Cabo Verde pelas instituições internacionais”, disse ainda a responsável do PAICV no Porto Novo.

A líder local do PAICV acusa a edilidade porto-novense, sustentada pelo MpD, de “falta de visão” em relação ao desenvolvimento do município do Porto Novo, designadamente no que tange à política de criação de empregos.

Mostrou-se ainda “preocupada” com a saída dos jovens deste concelho para as ilhas de São Vicente, Sal e Boa vista à procura de emprego, facto que, no seu entender, trarão “implicações sérias, não só para as suas próprias vida, como para o desenvolvimento do nosso concelho.

“Muitos desses jovens são formados e, por isso, deveriam ter um papel importante no desenvolvimento do nosso município”, lamentou Elisa Pinheiro, para quem “tudo isso acontece porque estamos perante uma câmara inoperante, preguiçosa e desnorteada” que prefere “apostar em festas, gastando rios de dinheiro dos contribuintes, para distrair os jovens dos reais problemas que os afectam”.

O PAICV, concluiu, “continua a exigir” da Câmara Municipal do Porto Novo que, “paralelamente às festas, faça alguma coisa” visando a criação de postos de trabalho e a melhoria das condições de vida às famílias.

JM/JMV

Inforpress/fim