Porto Novo: Desafios de salvaguarda das festas de São João como património imaterial nacional é tema de conferência

Porto Novo, 19 Jun (Inforpress) – O programa cultural das festas de São João no Porto Novo, que arranca hoje, na aldeia “Nós Raiz”, vai ser marcado por uma conferência sobre os desafios da salvaguarda das festas e São João, como património imaterial nacional.

O evento, que tem lugar esta quarta-feira, é uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal do Porto Novo e do Ministério da Cultura e Industrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural (IPC) e insere-se nas festividades de São João, santo padroeiro deste concelho, que se celebra a 24 de Junho.

As festas de São João, classificadas em Novembro de 2017 como património cultural imaterial nacional, o inventário e a salvaguarda desta manifestação popular, “colá sanjon”, um património comum, são alguns dos temas que vão ser abordados nesta conferência que contará com a presença dos técnicos do IPC.

Esta terça-feira, segundo o vereador da Cultura da edilidade porto-novense, Nilson Santos, o programa contempla uma homenagem às coladeiras de São João e uma amostra do folclore local e nacional, com a actuação de tamboreiros, coladeiras, batucadeiras e de um grupo de carnaval de São Vicente.

Até ao dia 21 de Junho, o espaço da aldeia cultural recebe uma série de eventos, sendo ainda de destacar a apresentação do livro “Ti lobo na festa de Son Jon”, do antropólogo Humberto Lima, a actuação de ‘rappers’ locais, e artistas locais ligados à musica tradicional.

O auge desta festa, que tem um grande pendor religioso, acontece a 23 de Junho com a peregrinação dos fiéis, transportando a imagem do santo padroeiro entre Ribeira das Patas e cidade do Porto Novo, num percurso de mais de 20 quilómetros.

O antigo estádio municipal Amílcar Cabral, pelo segundo ano consecutivo, receberá nos dias 23 e 24 de Junho os bailes populares, abrilhantados por artistas nacionais e estrangeiros, como o angolano Iuri da Cunha e os cabo-verdianos Djodje, Elji Beatzkilla e Jeniffer Dias, além dos grupos Cordas do Sol, Livity e Bulimundo.

JM/CP

Inforpress/Fim