Porto Novo: Criadores de gado continuam a registar mortes de animais por debilidade física

 

Porto Novo, 25 Nov (Inforpress) – Um pouco por todo o concelho do Porto Novo, Santo Antão, os criadores de gado têm dado conta de vários casos de mortes de cabras, sobretudo, na final de gestação, dado o seu estado nutricional e por debilidade física.

Por isso, clamam pelo apoio do Governo na aquisição de ração prometida no quadro do plano de emergência, anunciado, há cerca de dois meses, pelo Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA).

A escassez de água, a preocupante situação nutricional do efectivo pecuário devido à ausência de pasto, sobretudo na cintura periférica do Porto Novo e no Planalto Norte e o ataque de cães vadios são, nesta altura, as maiores preocupações dos criadores no Porto Novo, que têm sido obrigados a vender, ao desbarato, o seu efectivo.

Uma fonte do MAA em Santo Antão admitiu, entretanto, a possibilidade de, “no decurso da próxima semana”, os serviços deste ministério iniciarem as acções concretas previstas no quadro do plano de emergência, que dá prioridade ao salvamento do gado.

O edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, reforçou o apelo ao Governo no sentido de se acudir o seu município que vive, nesta altura, “um momento dramático” por causa da seca, alertando que “não há condições para a as pessoas aguentarem mais”, face á situação difícil por que passa o concelho.

O autarca tem feito, de forma reiterada, apelos ao Governo para “fazer o possível” para operacionalizar o programa de emergência de mitigação da seca com vista a socorrer as populações do seu concelho “enquanto vai a tempo”.

Porto Novo deverá receber, no âmbito do plano de emergência de salvamento de gado e de mitigação da seca, “uma verba superior a 150 mil contos” para “amenizar” os efeitos do mau ano agrícola, neste concelho.

JM/FP

Inforpress/Fim