Porto Novo: Comunidades rurais dizem-se “excluídas” do resto do município

Porto Novo, 24 Abr (Inforpress) – Bolona, João Bento e Pascoal Alves são alguns povoados rurais, cujos moradores dizem-se “excluídos” do resto do município do Porto Novo, em Santo Antão, devido aos inúmeros problemas por que passam.

A zona de Bolona, no Planalto Norte, conforme os habitantes, “foi esquecida no tempo” pela Câmara Municipal do Porto Novo e pelo Governo, que “pouco ou nada” tem feito nessa localidade, com cerca de duas dezenas de famílias.

“Bolona não tem água, nem luz eléctrica e nem telefone. Não temos nada. Esta zona quase que não faz parte do concelho do Porto Novo”, lamentou à Inforpress a moradora Maria Silva, adiantando que são raras as vezes que delegações da câmara ou do Governo visitam esse povoado.

Em João Bento, uma comunidade próxima da Ribeira dos Bodes, as 12 famílias locais queixam-se, também, de se sentirem “fora” do município do Porto Novo, segundo o representante da população, Henrique da Luz.

De entre outras preocupações, essa localidade sonha ainda com energia eléctrica.

Em Pascoal Alves, a comunidade mais isolada do interior do Porto Novo, além da penúria de água e falta de estrada, as 15 famílias sonham, também, com energia eléctrica, segundo a associação local.

No caso de Bolona e Pascoal Alves, esses povoados deverão, ainda no decorrer do primeiro semestre de 2018, dispor de luz eléctrica com instalação de kits de produção de energia fotovoltaica nas habitações, prevista no quadro do projecto de electrificação do Planalto Norte, já em execução.

Já em João Bento, o presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Aníbal Fonseca, assegurou que, embora não seja uma responsabilidade da câmara, está a discutir com a Empresa de Electricidade e Água (Electra) a electrificação dessa localidade.

JM/CP

Inforpress/fim