Porto Novo: Agricultores de Manuel Lopes continuam a abandonar suas terras por causa do “custo elevado” de água

 

Porto Novo, 12 Dez (Inforpress) – A actividade agrícola em Manuel Lopes, interior do Porto Novo, Santo Antão, tem sido marcado, nos últimos anos, pelo abandono pelos agricultores das suas propriedades, alegando dificuldades para adquirir água para rega.

Em causa está o “elevado custo de água” produzida a partir de um furo, equipado com uma motobomba, explicou o representante dos agricultores, Aquiles Barbosa, que adiantou que muitos lavradores já abandonaram as suas parcelas, devido a dificuldades na compra de água para a rega.

Uma tonelada de água produzido pelo furo em Manuel Lopes custa 45 escudos, preço que, conforme Aquiles Barbosa, é “incomportável” para a grande maioria dos lavradores que, perante as dificuldades, tem optado por desistir da actividade agrícola, nessa localidade.
“É cada vez mais evidente o abandono das terras por parte dos agricultores. O panorama é desolador”, lamentou este respondível, que diz recear pelo futuro da agricultura em Manuel Lopes.
Os agricultores locais têm estado a reivindicar o equipamento do furo local com sistema fotovoltaico para reduzir os custos de produção de água.

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) garante ter desencadeado um programa que visa equipar, até 2018, todos os furos existentes no Porto Novo com painéis solares, investimento que vai resolver o problema do “custo elevado de água”, do qual se queixam os agricultores, não só de Manuel Lopes como de outras localidades.

Segundo o delegado do MAA no Porto Novo, Joel Barros, este ministério tem a percepção das dificuldades que ainda muitos agricultores enfrentam para adquirir água para rega nas localidades onde os sistemas funcionam com base em energia convencional.

É previsão do MAA de que, ainda no decurso de 2018, os agricultores em todo o concelho do Porto Novo venham a adquirir água para irrigação a “um custo muito reduzido”, graças a um programa em curso que visa equipar todos os furos com sistemas fotovoltaicos.

JM/JMV

Inforpress/fim