Porto Novo: 25 quilómetros da rede de adução reabilitados com projecto de Água e Saneamento de Santo Antão

Porto Novo, 30 Ago (Inforpress) – Cerca de 25 quilómetros da rede de adução e distribuição de água no município do Porto Novo vão ser reabilitados no quadro do Projecto de Água e Saneamento de Santo Antão, cujo lançamento está previsto para Dezembro.

A rede de distribuição de água na cidade do Porto Novo, instalada há 18 anos, apresenta “deficiências graves” que têm criado sobressaltos às populações, sobretudo das zonas altas, conforme uma auditoria feita a essa infra-estrutura, que recomenda investimentos à volta dos 200 mil contos a curto, médio e longo prazo para resolver os constrangimentos existentes.

Segundo a edilidade porto-novense, a rede está constantemente a arrombar-se, registando-se uma média de 20 rombos/dia, com perdas à volta de 45 por cento (%).

De acordo com o projecto a que a Inforpress teve acesso, ainda no Porto Novo, além da reabilitação da rede, considerada já obsoleta, vão ser ainda feitas 3.500 ligações domiciliárias de água, além de construção e reabilitação de reservatórios.

O projecto, co-financiado pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento em África (Badea), em cerca de 900 mil contos, visa melhorar o abastecimento de água potável em todos os três municípios de Santo Antão.

No municiono da Ribeira Grande, prevê-se a reabilitação de três reservatórios e três mil ligações domiciliárias, enquanto que no Paul serão feitas, com este projecto, duas mil ligações domiciliárias.

Na vertente saneamento, o projecto vai, igualmente, melhorar o sistema de drenagem de águas residuais do município de Porto Novo, com a construção de uma rede de esgotos numa extensão de 20 quilómetros e de mais de 300 ligações domiciliárias.

Este projecto prevê ainda a construção de uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR), duas estações de bombagem e 200 fossas sépticas nas zonas rurais.

O projecto contempla, igualmente, aquisição de dois camiões limpa-fossas, a montagem do sistema de gestão dos clientes do Serviço Autónomo de Água e Saneamento (SAAS) dos três municípios e a reabilitação da sede do SAAS do Paul.

O decreto que aprova o acordo de empréstimo, estimado em dez milhões de dólares (900 mil contos) junto do Badea, para a execução deste projecto, foi assinado, em Julho, pelo primeiro-ministro que considerou, na ocasião, que o Governo está “a cumprir” com Santo Antão, ilha que, dentro de dois anos, terá resolvido os problemas de água e saneamento que enfrenta.

O Governo espera, já em Dezembro, lançar este projecto, cujas obras estarão a iniciar-se, efectivamente, nos primeiros três meses de 2019.

JM/ZS

Inforpress/Fim