Plataforma das ONG’s associa-se à Coalizão Cabo-verdiana dos Direitos da Criança para promover trabalho em rede

 

Cidade da Praia, 06 Nov (Inforpress) – O presidente da Plataforma das Organizações Não Governamentais (ONG’s), Jacinto Santos, manifestou-se, hoje, disponível em trabalhar com a Coalizão para promover o trabalho numa sociedade organizada e rentabilizar os recursos numa organização em rede.

Jacinto Santos falava na cerimónia de abertura dos trabalhos da assembleia constitutiva da Coalizão Cabo-verdiana dos Direitos da Criança (CCDC), que decorre durante dois dias (6 e 7), na Cidade da Praia..

“A coalizão é um espaço que representa a sociedade civil organizada e que pode ser muito respeitado e consultado quando o tema é a defesa dos direitos da criança ou do adolescente. O seu trabalho é promover debates que assegurem o direito, com iniciativas que possibilitem a protecção, a inclusão social e a redução da vulnerabilidade socioeconômica”, disse.

Neste âmbito, manifestou o interesse da Plataforma das ONG’s em trabalhar em parceria com a Coalizão no sentido de se criarem comissões temáticas para que cada um seja competente “lá onde melhor sabe fazer, para melhor defender” esses direitos.

A intenção da Plataforma das ONG’s, explica, é a de rentabilizar os recursos existentes e levar a que as organizações da sociedade civil trabalhem em sintonia.

Já, segundo a presidente da Associação de Crianças Desfavorecidas (ACRIDES), Lourença Tavares, o propósito da Coalizão é de reforçar nas comunidades o sistema de protecção de crianças, visto que nos bairros deste país o direito da criança se encontra “a descoberto e sem protecção dos serviços sociais, educadores e psicólogos”.

E para isso, confirmou, existem as associações comunitárias de base que se forem capacitadas e organizadas podem ajudar a diminuir o número de crianças em situação de risco e de rua, e haver menos crianças abandonadas.

“Temos de chegar mais perto da comunidade para darmos respostas aos problemas de violação de direitos de criança, assim como promover os deveres. A nossa intenção é chamar a atenção da sociedade civil de que não é apenas o Governo quem tem a responsabilidade de proteger”, afirmou.

Com esta Coalizão, um plano de acção, recursos e parceiros nacionais e internacionais, garantiu, vão conseguir promover os direitos das crianças fazendo com que elas cresçam de uma forma “harmoniosa e equilibrada”.

Na Assembleia constitutiva da Coalizão Cabo-verdiana dos Direitos da Criança, participam representações da ilha de São vicente, Santo Antão, Maio, Fogo, Sal e Boa Vista, visando uma coalizão representativa e descentralizada a nível do país.

Uma das pautas do evento de dois dias, vai ser a aprovação dos estatutos e do logo, e a definição dos corpos sociais da Coalização.

No segundo dia do encontro, está prevista a realização de uma conferência sobre o tema “Uma Criança, Um Cidadão! – Eficácia, e eficiência dos ODS na promoção dos Direitos da Criança em Cabo Verde!” subdividida em subtemas como “A importância das parcerias e das cooperações na implementação dos ODS para promoção e defesa dos direitos da criança” e “Os desafios da participação da Criança para o sucesso dos ODS”.

No dia 07 ao fim do dia, será feito o lançamento oficial da Coalizão Cabo-verdiana dos Direitos da Criança e apresentados os seus órgãos dirigentes.

A CCDC é filiada à ONG Save the Children e congrega Associações Comunitárias de Base, Associação de Pais e Estudantes, pessoas individuais, em torno de objectivo comum que defende princípios da livre adesão, democracia interna, parceria, intercooperação, solidariedade social e interajuda, equidade de género, participação e protecção.

PC/ZS

Inforpress/Fim