Pelo menos 18 mortos na Síria devido a bombardeamentos da aviação turca

 

Beirute, 25 Abr (Inforpress) – Pelo menos 18 pessoas morreram hoje em consequência dos bombardeamentos da aviação turca contra alegadas posições de rebeldes curdos no nordeste da Síria, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“Combatentes e responsáveis dos media das milícias curdas Unidades de Proteção Populares (YPG) foram mortos”, segundo a ONG, que se informa com base numa grande rede de fontes no país em guerra. As YPG confirmaram que houve vítimas devido aos bombardeamentos, mas não especificaram os números.

Ancara considera a milícia curda das YPG como “um grupo terrorista” porque é aliada do ilegalizado do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Segundo as YPG, os aviões turcos lançaram antes da madrugada um ataque “contra uma base que abriga um centro de comunicação para os media e instalações militares” perto da cidade síria de Al-Malikiyah, perto da fronteira turca.

No vizinho Iraque, a aviação turca também lançou um bombardeamento aéreo contra grupos armados locais que estariam ligados ao PKK, mas aparentemente matou por acidente seis membros das forças de segurança curda iraquaianas, segundo um responsável das forças curdas (peshmergas).

O Exército turco confirmou que efectuou bombardeamentos na Síria e no Iraque e que estes foram realizados para evitar a entrada na Turquia de rebeldes curdos, armas, munições e explosivos procedentes daquelas zonas, indicou a mesma nota.

Para Ancara, membros do ilegalizado do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) estão a encontrar santuários nos vizinhos Iraque e Síria, entre as próprias minorias curdas desses países.

Há muito que a Turquia reivindica que a região iraquiana de Sinjar se tornou num reduto de rebeldes do PKK.

Lusa/Inforpress/fim