Partido Popular apela a uma maior racionalização do dinheiro público

Cidade da Praia, 30 Ago (Inforpress) – O Partido Popular (PP – oposição, sem assento parlamentar) manifestou-se hoje preocupado com a governação de Ulisses Correia e Silva e apelou a uma maior racionalização do dinheiro público.

A inquietação dos populares foi expressa pelo líder do partido, Amândio Barbosa Vicente, depois de ser recebido em audiência pelo embaixador dos Estados Unidos em Cabo Verde, Donald Heflin, na Cidade da Praia.

Amândio Barbosa Vicente disse que essa visita vem na sequência de uma serie de acções que o partido tem feito junto das entidades estrangeiras com o intuito de chamar atenção da comunidade internacional radicada em Cabo Verde sobre a governação deste país, que, no seu entender, “tem esbanjado muito dinheiro”.

Sendo Cabo Verde um país pobre, que depende da ajuda externa e com um sistema de saúde caro, o presidente do Partido Popular defendeu que as autoridades nacionais devem gerir os fracos recursos com maior racionalização possível.

“A questão da governação em Cabo Verde deve passar pelo controlo dos custos, não das receitas, advogou Amândio Barbosa Vicente, observando que essa medida não aconteceu.

“Ela não foi implementada pelo governo do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), nem pelo Movimento para a Democracia (MpD-poder)”, salientou.

Por outro lado, o presidente do PP disse estar ciente de que um diplomata não pode interferir na política interna de um país, mas acredita que poderá ter alguma influência no sentido de haver maior racionalização do dinheiro público cabo-verdiano, uma vez que o arquipélago recebe apoio dos Estados Unidos e de outros países.

O Partido Popular é a quarta maior força política de Cabo Verde, não tem representação parlamentar e tem-se destacado pela denúncia de suspeitas de corrupção na administração pública.

AV/CP

Inforpress/Fim