Parlamento: Paula Moeda diz que vai apresentar queixa-crime contra Isa Costa

Cidade da Praia, 28 Jun (Inforpress) – A deputada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) Paula Moeda disse hoje no Parlamento que vai apresentar uma queixa-crime contra a eleita do MpD (no poder) Isa Costa por difamação.

Paula Moeda respondia a uma intervenção, no período antes da Ordem do Dia, em que Isa Costa acusou o partido da oposição de “instigar pessoas e crianças para fazerem manifestações” e, com isso, tirar dividendos políticos.

Isa Costa apontou o dedo directamente a Paula Moeda a quem acusa de oferecer camisolas a crianças para que eles pudessem participar no dia 1 de Junho na manifestação de solidariedade e que pedia respostas do Governo sobre às crianças desaparecidas.

“A senhora é especialista em manipulação de pessoas para fazer greve e chega ao cumulo de manipular crianças”, acusou Isa Costa, dizendo ter fotos que podem provar esta acusação.

“Coitado das crianças que, para ganhar uma camisola, têm que ir à manifestação para que a televisão possa filmar,” ajuntou ainda a deputada do MpD.

Em reacção, a deputada do PAICV afirmou que desconhece essas acusações da sua adversária. “A partir deste momento, a deputada vai ter que provar num processo-crime as barbaridades que ela acabou de dizer”, ripostou Moeda, para quem a sua ética nunca será beliscada com a “verbalização e blasfémias” dos eleitos do MpD.

Reagindo às intervenções sobre as manifestações ocorridas nos últimos tempos, o ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, disse que o país tem verificado “grandes avanços” em matéria de liberdade e democracia.

Tudo isso, segundo ele, porque a consolidação da democracia e a promoção dos direitos e das liberdades constituem “os eixos estratégicos” da Governação do MpD.

Em relação à segurança, o ministro também defende que houve “avanços significativos” e garantiu que o Governo está a trabalhar na segurança interna e, sobretudo, fazer com que “os casos que estejam em investigação possam conhecer resultados concretos”. Isto em resposta aos pedidos da conclusão dos inquéritos sobre o desaparecimento de pessoas.

CD/ZS

Inforpress/Fim