Parlamento: PAICV questiona sobre regresso do PCA da CV Telecom, José Luís Livramento ao Parlamento

Cidade da Praia, 23 Jul (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) questionou hoje o regresso do da PCA da CV Telecom, José Luís Livramento, ao Parlamento, considerando que ele vai acumular dois salários quando há jovens sem emprego.

Esta questão foi levantada no período antes da ordem do dia por José Maria Gomes da Veiga, eleito do PAICV pelo círculo de Santiago Norte, que através de pedidos de esclarecimento e interpelações à mesa quis, em nome da “ética e da transparecia”, conforme realçou. “saber se José Luís Livramento ocupava o cargo de deputado de manhã e o de PCA da Cabo Verde Telecom à tarde”.

Para o deputado o facto de ele (Livramento) acumular os cargos de presidente do Conselho de Administração CV Telecom, de presidente da comissão executiva com o de deputado da Nação mostra que o Governo e o MpD não têm “um mínimo de compromisso com a ética”, “não tem a mínima sensibilidade” para com os problemas que as diferentes classes sociais estão a atravessar neste momento no país.

“Não estão preocupados com milhares de quadros cabo-verdianos que estão no desemprego e sem rendimentos e estão aqui a falar de confiança”, criticou Veiga acusando o Governo e o MpD de “querer açambarcar Cabo Verde” com a estratégia de acumular, cargos e rendimentos e mais capital.

“Esta é a resposta que Ulisses Correia e Silva dá ao apelo dos jovens para promover oportunidades para todos”, ajuntou o deputado do maior partido da oposição.

Em reação às afirmações do deputado do PAICV, José Luís Livramento afirmou que não vai receber nenhum salário na Assembleia Nacional e que está lá como deputado da Nação, eleito “para valorizar a democracia do país”.

Livramento lembrou que o deputado do PAICV, Manuel Inocêncio, que foi ex-PCA da CV Telecom ganhou dois salários até 31 de Dezembro de 2017 e subsídio de renda de casa. Recordou ainda que se não regressasse ao Parlamento até 8 de Julho perdia o mandato e seria punido.

“Não há nenhuma lei que diz que eu não posso estar aqui. O estatuto de deputados refere que empresas que têm até 50 por cento de capitais públicos, deputados que exercem o cargo de Conselho de Administração podem estar no Parlamento”, reagiu recordando ainda que o deputado do PAICV e ex-PCA da Caixa Económica, Nuias Silva, perdeu o mandato.

José Livramento ocupava o sexto lugar na lista do MpD pelo círculo eleitoral de Santiago-Sul, mas no início desta legislatura quando foi indigitado PCA da CV Telecom foi substituído por João Cabral.

Na altura Livramento sustentou que as funções como PCA da empresa Cabo Verde Telecom impunha o assumir de uma actividade que iria ocupar grande parte de seu tempo disponível.

CD/FP

Inforpress/Fim