Parlamento: O senhor ministro deve um pedido de desculpas à Nação e aos jornalistas – Rui Semedo

Cidade da Praia, 27 Mar (Inforpress) – O representante do PAICV, Rui Semedo, considerou hoje, no encerramento do debate parlamentar sobre a Comunicação Social pública, que o ministro Abraão Vicente “deve um pedido de desculpas à Nação e aos jornalistas”.

Este debate, proposto pelo Grupo Parlamentar do maior partido da oposição, foi despoletado por um “post” do ministro Abraão Vicente, no facebook, por ocasião do Carnaval do Mindelo, e, no encerramento, o deputado Rui Semedo dirigiu-se ao ministro Abraão Vicente manifestando a pretensão “de o convencer dos seus pecados e a pedir desculpas”.

Rui Semedo acusou o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de cometer erros com a “substituição ilegítima” da Assembleia-geral, no acto de tomada de posse ao novo Conselho de Administração (CA) da RTC, além de aproveitar a lei que extingue a RTCI para, “de uma assentada, eliminar o CA independente e acabar com o concurso para a nomeação do CA, dos directores e dos delegados”.

“Pelas mãos, directa ou indirectamente, do senhor ministro desapareceram alguns programas de debate”, disse Rui Semedo, concluindo que, nesse e noutros casos, “os jornalistas foram compreensivos, atentos, benevolentes e tolerantes” com o ministro, acusado de tentativa de manipulação da Comunicação Social.

O deputado tambarina, numa comparação entre a governação dos dois partidos, disse que “a democracia e a liberdade floresceram nos últimos 15 anos de governação do PAICV”, tendo em conta que, adiantou Rui Semedo, foi nesse período que houve “mais rádios, mais televisões, mais jornais e mais rádios comunitárias”.

“No seu carnavalesco ‘post’, o senhor ministro teve a pontaria de violar, com uma única tirada, a lei da televisão, a lei da Comunicação Social, a independência dos Órgãos da Comunicação Social, a liberdade dos jornalistas, a liberdade de imprensa e os valores fundamentais de um Estado de Direito Democrático”, acusou Rui Semedo, apontando ainda que, com esse “post”, Abraão Vicente “pôs a nu a sua tendência predadora”.

HF/JMV

Inforpress/Fim