PAICV considera que é chegado o momento de o país ter um pacote de cuidados essenciais de saúde

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – A líder do grupo parlamentar do PAICV (oposição), Janira Hopffer Almada, considerou hoje na Cidade da Praia que é chegado o momento de o país ter um pacote de cuidados essenciais de saúde.

Janira Almada fez essas considerações em declarações hoje à imprensa, ao concluir uma visita ao Hospital Agostinho Neto (HAN) e à Ordem dos Médicos, no âmbito das competências de fiscalização dos parlamentares e enquadrada na preparação do debate sobre o estado da Nação, marcado para o final deste mês de Julho.

Conforme esclareceu, a criação desse pacote é no sentido de se definir um conjunto de cuidados que os cidadãos devem ter por direito.

“O direito à saúde tem de ser garantido na prática e nós temos que ter uma saúde acessível a todos, sobretudo àqueles que não podem pagar os custos inerentes de alguns tratamentos”, observou a também presidente do maior partido da oposição.

Por outro lado, a líder do PAICV manifestou-se preocupada com o financiamento do sector da saúde, realçando que o Governo não tem enfrentado essa situação de forma “clara”, por forma a partilhar com a Nação o que perspectiva sobre essa matéria.

“Nós queremos saber concretamente qual é a prioridade que o Estado deva assumir em matéria de saúde em matéria de Orçamento de Estado e também qual é o seu entendimento sobre a comparticipação do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS)”, instou a presidente do PAICV.

É que segundo Janira Hopfer Almada, este pedido de esclarecimento tem a ver com o sistema de evacuações internas e com a cobrança de taxas a nível de exames, serviços e consultas nos hospitais, que segundo ela, nem todos podem pagar, num país com um salario mínimo de 13 mil escudos”.

Avançou ainda, que estas preocupações foram manifestadas junto do conselho de administração (CA) do Hospital Agostinho Neto, mas lembrou que quem tem a responsabilidade para analisar esta questão e avançar com medidas concretas é o Governo.

Em relação a visita à Ordem dos Médicos disse que foi com o objectivo de saber qual é a avaliação que a instituição faz da saúde em Cabo Verde e saber sobre a situação da carreira médica.

OM/FP

Inforpress/Fim