Organizações sociais nacionais e parceiros internacional iniciam segunda-feira formação sobre “HIV & Deficiência”

Cidade da Praia, 02 Set (Inforpress) – A Verdefam, Cruz Vermelha e a Humanité & Inclusion promovem de 03 a 07, na Cidade da Praia, uma acção de formação destinado aos prestadores de cuidado de saúde em estratégias de comunicação sobre “HIV & Deficiência”.

A formação, que acontece no país no âmbito do projecto Fronteiras e Vulnerabilidades face ao HIV/SIDA na Costa Ocidental Africana (FEVE), implementado pela Verdefam, Morabi e Cruz vermelha de Cabo Verde, visa promover a redução da transmissão do HIV/SIDA, bem como medir o impacto da epidemia no seio do referido grupo.

O projecto FEVE implementa, ainda, açcões que promovam o envolvimento dos grupos chaves e a população em geral em actividades de prevenção do VIH/SIDA e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), bem como a difusão de informações e mecanismos que geram mudança de comportamento, através de prestação de serviços de saúde com aconselhamento, testes de VIH, consultas clínicas e de especialidades.

Consta ainda, do propósito do projecto a criação de acções de prevenção junto dos grupos chaves, trabalhadores de sexo e usuários de droga, homens que fazem sexo com homens, através do estabelecimento de parcerias e montagem de sistemas de referência eficazes para as instituições mais vocacionadas ao atendimento de cada caso.

O projecto Fronteiras e Vulnerabilidades face ao HIV/SIDA na Costa Ocidental Africana (FEVE) é um projecto regional de luta contra o VIH/SIDA direcionado aos grupos vulneráveis, trabalhadores de sexo (TS), homens que fazem sexo com homens (HSH), pessoas portadores de VIH (PVVIH) e usuários de droga (UD).

A Humanité & inclusion, é uma ONG que, em conjunto com os seus parceiros, tem vindo a implementar um projecto regional intitulado “HIV e Deficiência”, cujo objectivo principal é contribuir para a redução de novas infeções por HIV de pessoas com deficiência.

Uma das missões da ONG é também, apoiar na promoção dos direitos humanos, atacando as barreiras legais e melhorando o seu acesso a serviços de prevenção, assistência e apoio por meio da advocacia regional.

PC/CP

Inforpress/fim