Novo presidente da “A ponte” promete trabalho em vista a melhorar e defender a saúde mental no país

 

Cidade da Praia, 30 Jan (Infropress) – O novo presidente da Associação de Promoção da Saúde Mental “A Ponte”, Eduíno Moniz, comprometeu hoje dar uma nova dinâmica à instituição em vista a melhorar a saúde mental no país.

Eduíno Moniz fez essas considerações em declarações à Inforpress anunciando o plano de acções do novo corpo directivo da “A ponte” que será empossado esta tarde, na Cidade da Praia, para um mandato de três anos.

“Vamos auscultar primeiro os profissionais da saúde, visitar instituições e Organizações Não Governamentais parceiras da A Ponte, que tem vindo a trabalhar sempre em prol do melhoramento da saúde mental no país”, disse Eduíno Moniz indicando que em termos de compromisso com a saúde mental a disponibilidade vai no sentido de se debater o tema em vista a combater os factores que prejudicam o seu avanço e construção de ações eficazes na prevenção.

Conforme explicou, vão trabalhar em parceria com o Ministério da Saúde no sentido de se melhorar as condições de atendimento dos doentes e encontrar um ponto de equilíbrio, “pois, como todos sabem o hospital esta sedeado em Trindade e as condições de aceso não são as melhores”, frisou.

De acordo com o novel presidente da A Ponte, não existe transporte público para Trindade, e não havendo transporte as pessoas mais necessitadas não chegam lá, pelo que se torna necessário trabalhar o quanto antes para se contornar a situação no futuro.

Eduíno Moniz indicou, por outro lado, que a associação tem em perspectiva trabalhar o lado preventivo a nível da educação, nas escolas, incutindo alguns cuidados sobre a saúde mental, assim como debater com o Ministério da Saúde a capacitação de médicos e enfermeiros no que tange ao atendimento dos doentes mentais.

No entanto, considerou que o primeiro passo é conscientizar a população sobre como buscar as formas de tratamento com os profissionais, “pois, prevenir é o mecanismo mais adequado para a boa saúde da população”, enfatizou.

“A nossa intenção é ajudar a encontrar melhores soluções para os doentes mentais, que são violados constantemente nos seus direitos humanos”, concluiu.

O principal objectivo da associação “A Ponte” é contribuir para a promoção da saúde da população, especialmente na área da saúde mental, tendo como principais eixos de intervenção a defesa e dignificação dos direitos humanos, em especial dos portadores de perturbações mentais, prevenção das toxicodependências, promoção e defesa do bem-estar da família, prevenção do suicídio.

PC/FP

Inforpress/Fim