Novo cemitério municipal da Cidade da Praia vai ter serviços de cremação nos próximos tempos

 

Cidade da Praia, 02 Nov (Inforpress) – O novo cemitério municipal da Cidade da Praia, localizado em Achada São Filipe, vai ter nos próximos tempos serviços de cremação, disponibilizados aos munícipes, anunciou hoje o presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos.

Em declarações à imprensa, paralelamente à cerimónia de abertura do cemitério, Óscar Santos informou que a CMP vai disponibilizar os serviços de cremação de cadáveres, assim que seja aprovada a lei que permite a realização desta actividade no País.

Com a cremação, basicamente, indicou, os corpos são colocados em fornos e incinerados a temperaturas altíssimas, fazendo carne, ossos e cabelos evaporarem.

Só algumas partículas inorgânicas, como os minerais que compõem o osso, resistem a esse calor para lá de intenso. São esses resíduos que compõem as cinzas, o pozinho que sobra como lembrança dos restos mortais de uma pessoa cremada.

Apesar da aparência de prática moderna, a cremação é uma tradição de quase três mil anos. “Para as religiões do Oriente, queimar o cadáver é uma prática consagrada”, aludiu.

Durante o acto de bênção do novo cemitério presidido pelo cardeal D.Arlindo Furtado, o edil praiense sublinhou a importância da nova infra-estrutura a qual permite a realização de cerimónias fúnebres directamente nesse espaço.

O novo cemitério municipal, que se desenvolve numa área de quatro mil metros quadrados, custou à autarquia cerca de 60 mil contos e tem uma lotação horizontal máxima para 4.200 campas, um espaço ecuménico para a realização de todo tipo de cerimónias fúnebres, independente do credo, informou o autarca.

Este novo cemitério dispõe igualmente de infra-estruturas de apoio, que incluem uma cafetaria, um escritório de administração e um amplo parque de estacionamento.

A edilidade prevê ainda neste novo espaço a construção de um crematório e um espaço para sepulturas em gavetões.

Centenas de pessoas participaram na cerimónia de bênção religiosa que contou com a equipa camarária, deputados e outras individualidades.

Na ocasião, Óscar Santos disse também que o novo cemitério irá resolver alguns problemas, entre os quais a superlotação do actual campo-santo da Várzea e o congestionamento do trânsito que se faz sentir na capital, aquando da realização de cortejos fúnebres.

Em declarações à imprensa, a vereadora dos Recursos Humanos e Assuntos Jurídicos, Edna Oliveira, informou que a entrada em funcionamento do novo cemitério não implicará o encerramento do da Várzea, pelo que os jazigos já adquiridos poderão continuar a ser utilizados e visitados no horário normal.

A autarquia informa igualmente que a partir de sexta-feira, 03, o cemitério da Várzea ficará temporariamente condicionado a enterros de familiares que possuem covatos perpétuos, uma vez que a nova infra-estrutura está dotada de espaço ecuménico e de uma loja para a aquisição de todo tipo de material de velório.

Segundo Edna Oliveira, a abertura do cemitério permitirá também a reabertura de vendas de covatos no sepulcrário da Várzea, que se encontrava suspensa, bem como no novo cemitério.

O cemitério da Várzea, até este momento é o único espaço de sepultura do Município da Praia, foi construído há centenas de anos.

JL/AA

Inforpress/Fim