Nova agência africana de notícias ADV critica cobertura dos media ocidentais

Malabo, 13 Ago (Inforpress) – A African Daily Voice (ADV) apresentou-se hoje em Malabo, capital da Guiné Equatorial, como uma nova agência de notícias continental africana, criticando as “imagens da África miserável que continuam a persistir na imprensa ocidental”.

“As redes de informação continuam dominadas nos nossos países pelos meios de comunicação social ocidentais”, disse o presidente executivo do grupo ADV, Toussaint Alain, citado num comunicado da própria agência, no qual afirmou que “as imagens de uma África miserável continuam a persistir na imprensa ocidental”.

“As histórias dos eventos africanos nem sempre reflectem a verdadeira identidade do nosso povo, as nossas culturas e as nossas linguagens”, afirmou, vincando que “impõem a sua própria visão do mundo, ansiosos acima de tudo por preservar os seus interesses”.

Num comunicado recheado de críticas à cobertura ocidental de África, Toussaint Alain afirmou: “Não podemos mais deixar estas agências sozinhas a informar o público africano sobre o que está a acontecer em África ou noutros locais; os eventos, a sua génese e evolução raramente são apresentados ao mundo exterior objectivamente e de forma precisa; criticou.

Com sede em Malabo, a nova agência de informação especializada em conteúdo e em media tem uma redacção em Casablanca, Marrocos, e oferece serviços em francês, inglês e árabe.

“Motivados por uma visão de longo prazo para África, os fundadores e investidores neste novo grupo de media confiam exclusivamente no talento africano para desenvolver um conteúdo bidireccional, baseado em pura informação, mas também na interacção entre o povo e as instituições”, lê-se no comunicado difundido a partir de Malabo.

A ADV terá 10 escritórios regionais na Argélia, Costa do Marfim, Camarões, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, África do Sul, Etiópia, Nigéria, Senegal e Madagáscar, com o objectivo de “recolher, processar e disseminar informação sobre cada uma destas regiões”.

Não se ficando pela actualidade africana, a ADV quer também cobrir o mundo com profissionalismo: “Os nossos repórteres vão esforçar-se para garantir que a confiança, objectividade e neutralidade são respeitadas”.

A ADV fará cobertura em texto, fotos e vídeos e gráficos computorizados das notícias africanas, cobrindo todos os temas da actualidade e baseia-se em “acordos de cooperação a nível mundial, com especial ênfase na Ásia, Europa e América”, anunciou o presidente executivo.

Inforpress/Lusa

Fim