Mulheres de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau beneficiárias do Poser recebem formação em empreendedorismo

Porto Novo, 03 Ago (Inforpress) – Mulheres em Santo Antão, São Nicolau e São Vicente estão a ser contempladas com formação em empreendedorismo, no âmbito de uma parceria existente entre o ICIEG e o Programa Nacional de Luta contra a Pobreza (PNLP).

Segundo o Instituto Cabo-verdiano para Igualdade e Equidade de Género (ICIEG), até agora foram beneficiadas as ilhas de Santo Antão e São Nicolau, num total de 70 participantes que, além de empreendedorismo, estão a ser capacitados ainda a nível de gestão de pequenos negócios.

Esta sexta-feira é a vez de um grupo de mulheres de São Vicente, beneficiarias do PNLP, mais precisamente do programa de promoção das oportunidades no meio rural (Poser), receber a formação, que está a ser orientada pela técnica Any Silva, formada em empreendedorismo e gestão de negócios.

Any Silva, que esteve em Santo Antão esta semana a ministrar formação na Ribeira Grande e Porto Novo, num total de 46 participantes, explicou que a iniciativa visa reforçar a capacidade dos beneficiários do programa Poser, que estão, nesta altura, a desenvolver projectos geradores de rendimentos nos vários domínios.

O gestor da unidade técnica do Poser em Santo Antão, Adriel Mendes, explicou que todos as mulheres participantes da formação são beneficiárias do Poser, encontrando-se, nesta altura, a desenvolver actividades produtivas nas áreas de agricultura, pecuária e pesca.

O protocolo existente entre o ICIEG e o PNLP visa contribuir para o reforço de conhecimento das mulheres rurais e dotá-las de “ferramentas” que contribuam para a sustentabilidade dos seus negócios, além de estimular uma maior cooperação e associativismo entre os beneficiários do Poser, financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Neste ano de 2018, Santo Antão deve ser contemplado, no quadro do Poser, que está a ser implementado nesta ilha desde 2014, com um pacote de projectos geradores de rendimentos na ordem dos 98 mil contos.

Os projectos previstos para este ano começaram já a ser lançados, prevendo-se que, até Dezembro, “centenas” de famílias em toda a ilha sejam contempladas com actividades geradores de rendimentos, contribuindo para a redução da pobreza que afecta ainda mais de metade (54%) da população santantonense.

JM/CP

Inforpress/fim