“Movimento Korda Cabo Verde” promove manifestação de solidariedade no Dia da Independência Nacional

Cidade da Praia, 05 Jul (Inforpress) – O “Movimento Korda Cabo Verde”, grupo criado recentemente na Cidade da Praia por jovens, vai manifestar esta quinta-feira na capital do País, para assinalar os 43 anos da Independência Nacional e reclamar contra “negligência e mortes por falta de socorro”.

José Gonçalves, um dos integrantes do grupo e que se apresenta como “um licenciado desempregado”, disse à Inforpress que o “Movimento Korda Cabo Verde” se afigura como uma organização apartidária, sem qualquer conotação política e que escolheu o dia 5 de Julho, “propositadamente”, para fazer a sua primeira aparição pública.

“Além de assinalar os 43 anos da Independência Nacional (05 de Julho de 1975) pretendemos também com esta grande manifestação, apelar e sensibilizar o Governo e as autoridades competentes a se empenharem contra a negligência e mortes por falta de socorro no País”, enfatizou Gonçalves.

De acordo com esse activista, o “Movimento Korda Cabo Verde” não deixa de criticar, no entanto, os recentes casos de desaparecimento de pessoas, sobretudo crianças em Cabo Verde e a problemática das evacuações entre ilhas, manifestando a sua preocupação e alertando a todos os cabo-verdianos “para a necessidade de serem criadas melhores condições de vida no País”.

Realçou que o “Movimento Korda Cabo Verde” está preocupado com a situação social e da forma como o País “está a ser conduzido”, pelo que o grupo pretende não só manifestar o seu desagrado, como propor soluções para o destino destas ilhas, encontrando no terreno a ultimar os trabalhos de sensibilização junto do público e os preparativos para a “grande marcha” de 5 de Julho.

“Transcorridos 43 anos da Independência Nacional deparamo-nos com os problemas que já deveríamos ter ultrapassado há muito tempo. Por isto, decidimos fazer esta marcha para chamar a atenção no sentido de se melhorar o rumo do desenvolvimento deste País”, precisou Gonçalves.

Entretanto, o artesão Yanick, mais conhecido por “Barra Berde”, outro elemento da direcção do movimento em apreço que, juntamente com Samira Dias, formada em informática, mas desempregada, disse que o grupo de jovens quer aproveitar esta onda de “descontentamento” social para “despertar” as pessoas no sentido da luta pelos seus direitos e liberdades consagrados nas leis da República.

“Queremos lutar contra todos os tipos de fatalidades que têm estado a surgir em Cabo Verde e que podem ser evitadas pelos membros do Governo”, disse Yanick, realçando estar convicto de que vai haver muita adesão por parte das pessoas à esta marcha cívica que considera ser a “Força de Cabo Verde”.

Explicou que o grupo já está “legalmente autorizado” pelas autoridades competentes para a realização desta manifestação que tem concentração prevista para as 09:00 em frente da Igreja Nova Apostólica na Fazenda.

“O Movimento “Korda Cabo Verde” tem uma única camisola, a de Cabo Verde e demarcar-se de qualquer aproveitamento político”, enfatizou.

SR/FP

Inforpress/Fim