Mosteiros: Câmara incentiva emigrantes a investir em outras áreas além da construção de habitação

 

Cidade de Igreja, Mosteiros, 13 Ago (Inforpress) – A Câmara Municipal dos Mosteiros exorta e incentiva os emigrantes a investir no município e na ilha em outras áreas de actividades além da construção de habitação.

Na celebração do dia do emigrante, institucionalizado desde 2002, o edil dos Mosteiros reconheceu a grande contribuição dos emigrantes e os investimentos realizados, sobretudo na construção de habitação, mas esta instituição, no dizer do seu presidente, Carlos Fernandinho Teixeira, quer ver alargada as áreas de investimentos, como forma de obter mais rendimento, reduzir a pobreza e combater o desemprego.

Segundo o edil, graças aos investimentos dos emigrantes, hoje as pessoas estão nas suas próprias localidades e não há uma procura para a cidade de Igreja, mas desafia os emigrantes a investir noutros sectores para contribuir ainda mais para o processo de desenvolvimento.

“Mosteiros está virgem em termos de investimentos em sectores de agro-negócios (agricultura e pecuária), construção civil, indústria de transformação de frutas e dos produtos agro-pecuários”, disse o edil, para quem a edilidade e o Governo estão a criar as condições para atrair os investimentos dos emigrantes.

Durante o encontro, Carlos Fernandinho Teixeira informou os emigrantes das realizações camarárias e dos projectos governamentais, indicando que com a integração da zona norte na rede pública de energia, o município fica quase a 100 por cento electrificado, e a partir de meados de Outubro, o mesmo acontecerá em relação a água com a conclusão do projecto em curso.

Este disse que independentemente da localidade, os munícipes passam a dispor de energia eléctrica 24 horas por dia, devendo acontecer o mesmo ainda antes do fim do ano com a disponibilização de água 24 horas, acrescentando que a câmara está empenhada para que cada família tenha uma torneira e uma lâmpada na sua residência.

A institucionalização do dia 12 de Agosto como Dia do Emigrante, no dizer de Carlos Fernandinho Teixeira deve-se ao “grande respeito e admiração” que a Câmara tem pela contribuição dos emigrantes espalhados pelos quatro cantos do mundo e encorajá-os a continuar nesta senda.

Em representação da Câmara do Comércio, Industria e Serviço de Sotavento (CCISS), o secretário-geral, José Luís Neves, falou das oportunidades de investimentos dos emigrantes quer no município dos Mosteiros como na ilha do Fogo e em Cabo Verde, no geral.

Segundo o mesmo é necessário que se mude de paradigma do “emigrante que remete remessas para a família” para “emigrante empreendedor, investidor”, aproveitando as oportunidades existentes nos sectores de agricultura, transformação de produtos agro-pecuários, criação de animais, produção de fruteiras, de feijão para comercialização, indústrias transformadoras (vinho, licores, destilados), apicultura, turismo e as suas várias valências.

Segundo o mesmo, a ilha dispõe de potencial e condições para massificação do turismo e dentro de anos passará a receber milhares de turistas se as condições forem optimizadas.

O secretário-geral da CCISS, que felicitou a edilidade dos Mosteiros pela criação do Gabinete Municipal de Empreendedorismo, observou que este gabinete deve trabalhar em três áreas, nomeadamente formação e capacitação, focalização do negócio e mobilização de investimentos para montagem dos projectos.

José Luís Neves indicou também que ainda existem algumas dificuldades, nomeadamente na obtenção de financiamento junto das instituições bancárias, melhoria da ligação aérea e marítima entre as ilhas e sobretudo com Sal e Boa Vista, a unificação do mercado, de entre outras.

Na celebração do Dia do Emigrante, o responsável da delegação aduaneira dos Mosteiros transmitiu aos emigrantes um conjunto de informações, indicando que muitas vezes o que opõe o emigrante e as Alfândegas é devido “à falta ou deficiência na comunicação”.

Contrariamente aos anos anteriores os emigrantes não levantaram muitas questões, mas queixam-se ainda do “deficiente” atendimento e no tratamento que lhes são dispensados em vários serviços.

JR/ZS

Inforpress/Fim