sarıyer haberleri">

Ministros da Agricultura e das Finanças defendem combate à informalidade no sector agrícola

 

Cidade da Praia, 26 Set (Inforpress) – Os ministros da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e das Finanças, Olavo Correia, defenderam hoje, na Cidade da Praia, o combate à informalidade no sector agrícola, a “principal actividade económica” em Cabo Verde.

A ideia foi defendida durante a cerimónia de apresentação pública dos resultados do 5º Recenseamento Geral da Agricultura 2015, que contou com as presenças, também, do representante da FAO em Cabo Verde, Rémi Nono Womdim, e do representante do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD), Vincent Ngendakumana.

“Temos que ter uma agenda específica para a formalização da economia agrária e já estamos trabalhando nisso” defendeu o ministro Gilberto Silva que explicou que a informalidade é resultado da não organização dos próprios agricultores, lembrando que os dados hoje apresentados mostram que é uma actividade essencialmente familiar.

Entretanto, tendo em conta o número de pessoas que emprega, o governante sustentou que a agricultura constitui a principal actividade económica em Cabo Verde, mas que o “maior desafio” tem a ver com o rendimento, porque “não basta” empregar um número considerável de pessoas, mas que é fundamental que traga rendimentos para as famílias e contribua, de forma substancial, para a redução da pobreza.

Gilberto Silva sublinhou que o Estado tem um papel importante neste processo e que as estatísticas são fundamentais para tomadas de decisões, uma opinião partilhada pelo ministro das Finanças, Olavo Correia.

Para ele, é preciso que o “Estado se envolva” para que seja possível o país ter um sistema estatístico “capaz e moderno”, para quem decida possa fazê-lo com base em informações viáveis e consistentes.

“A agricultura não pode ser vista como uma parente pobre”, disse Olavo Correia, notando que 35% da população nacional “vive no campo e do campo”, por isso defendeu que é preciso fazer da agricultura um sector “competitivo e inovador”, assim como é preciso criar um quadro empresarial ao nível do sector.

“Temos também que combater a informalidade do sector agrícola, avançar para a formalização, criar incentivos para aqueles que estão na informalidade”, declarou, advogando que é essencial uma agenda específica para a formalização da economia que ocupe especificamente o sector agrícola.

O 5º Recenseamento Geral da Agricultura permitiu obter as informações que espelham a realidade do sector, ver a sua dinâmica e constituir um fundamento sólido que sirva de base de amostra para as operações estatísticas a serem realizadas no futuro e ter todas as condições para implementar um sistema permanente de recolha e produção de estatísticas agropecuárias.

DR

Inforpress/Fim

%d bloggers like this:
Modüler Bölme Duvar Açık ofis bölme sistemleri Ofis Bölme Sistemleri Jaluzili cam bölme Cam bölme duvar Jaluzili bölme duvar Çocuk odası Diş polikliniği dekorasyonu Ofis dekorasyonu Hastane dekorasyon Ev dekorasyonu Sivas prefabrik Mutfak dekorasyonu Ofis dekorasyonu İç mimari dekorasyon