Ministro das Finanças promete apostar no sector da cultura para afirmação estratégica de Cabo Verde no mundo 

 

Cidade da Praia, 02 Ago (Inforpress) – O ministro das Finanças, Olavo Correia, prometeu hoje apoiar a cultura para torná-la num sector estratégico na afirmação de Cabo Verde no mundo e na criação de oportunidades de emprego para os jovens.

O governante fez estas afirmações durante uma visita às instituições do Ministério da Cultura e Indústrias Criativas, na Cidade da Praia, nomeadamente a Biblioteca Nacional, o Arquivo Nacional e o Museu Arqueológico, a convite do titular da pasta, Abraão Vicente.

Olavo Correia defendeu a necessidade de destacar a importância da cultura para o futuro colectivo e como um sector indutor de inovação, da criatividade e de acesso ao vasto mercado mundial.

O ministro das Finanças disse ter ficado satisfeito com a dinâmica implementada pelo colega Abraão Vicente em relação ao sector da cultura, o que, segundo ele, permite traçar estratégia para fazer da cultura um elemento essencial para criação de emprego, emprego jovem e bem remunerado.

Considerou ainda, que é preciso olhar para a história do país, preservá-la, investir e ter instituições qualificadas com recursos humanos e institucionais para poder dar respostas ao nível da Biblioteca Nacional, do Arquivo Histórico e das outras áreas do Ministério da Cultura.

Por sua vez, Abraão Vicente explicou que a visita serve para conhecer a realidade das instituições culturais, e poder elaborar um Orçamento de Estado de acordo com as condições do país e com as necessidades mais urgentes dessas instituições.

Sublinhou que com esta visita haverá mais facilidade na negociação do Orçamento de Estado, pois, se consegue visualizar as propostas do Ministério da Cultura, de acordo com as suas realidades.

Instado sobre as necessidades mais urgentes do seu ministério, Abraão Vicente apontou os investimentos em recursos humanos, mais qualificação, para poderem prestar um serviço de qualidade.

“É uma aproximação maior à sociedade civil, um maior conhecimento do trabalho que a Biblioteca, o Arquivo e o Instituto do Património Cultural fazem. Essa priorização passa por investimentos mínimos de valorização de recursos humanos e tecnológicos e creio que está completamente em linha daquilo que é o plano estratégico do Governo“, precisou.

Quanto ao investimento para reestruturar os patrimónios da Cidade Velha, o governante avançou que há um plano orçamentado em cerca de três milhões de euros (aproximadamente 330 mil contos), para investir nesses patrimónios.

Indicou, entretanto, que não será possível fazê-lo apenas num ano orçamental, pois, “é preciso sensibilizar os membros do Governo”.

Consta nesta visita do ministro das Finanças, enquadrada na preparação do Orçamento de Estado para 2018, visitas às instalações da Biblioteca Nacional, do Arquivo Nacional, do Museu Arqueológico e uma deslocação à Cidade Velha.

Nesta cidade berço da nação cabo-verdiana e património da humanidade, Olavo Correia deverá visitar o Forte Real de São Filipe, a Sé Catedral, o Pelourinho, e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

EA/CP
Inforpress/fim